MARCAS
VEJA TODAS AS MARCAS
Alô Bebê na Copa
Você está em: Portal > Revista > Como cuidar da saúde da criança e do bebê
Assunto: Bebê

Como cuidar da saúde da criança e do bebê

01/01/2000 - Texto por Dr. Manuel Naves

 

Para cuidar bem da saúde da criança é preciso acompanhar como ela está cotidianamente, com relação à alimentação, se ela come bem ou se não está comendo, manter a higiene é importante para evitar assaduras, veja a seguir algumas informações de como cuidar da saúde da criança e também do bebê.

A criança não ganha peso

Uma das preocupações em cuidar da saúde da criança é com relação ao ganho de peso. O desenvolvimento da criança nos dois primeiros anos de vida deve ser avaliado mensalmente, a fim de que se possa identificar e corrigir qualquer alteração o mais cedo possível. Sabemos que o bebê está se desenvolvendo normalmente quando ele vem ganhando peso, altura e progredindo em sua atividade motora.

Uma criança que não ganha peso pode não estar sendo alimentada adequadamente ou pode sofrer de algum distúrbio que precisa ser diagnosticado pelo pediatra. As criança e os bebês precisam ser bem alimentados, viver num ambiente calmo, bem ventilado, com roupas adequadas ao clima, tomar banhos diários e receber muito carinho. Uma criança com carência afetiva, sem contato físico e carinho dos pais, pode ficar chorosa, irritada e sem apetite, prejudicando seu ganho de peso e posterior desenvolvimento.

Cuidar da saúde da criança: as assaduras


Na maior parte das vezes, as assaduras são causadas pela irritação das fezes e da urina em contato com a pele do bebê. As fraldas descartáveis irritam menos a pele do que as de pano. Isto não quer dizer que não se possa usar as fraldas de pano, mas as mesmas deverão ser lavadas com sabão de coco (evite o uso de amaciantes). A fralda de pano deve ser usada quando se constatar que a criança é alérgica a alguns componentes das fraldas descartáveis. As assaduras, se não forem bem cuidadas, podem piorar e/ou infeccionar. É muito importante que a mãe veja onde começou a irritação, para saber se ela provém da região coberta pela fralda descartável ou do sabão em pó da fralda de pano.

Se a irritação começou no bumbum, pode ter sido causada por fezes muito ácidas. Se ela começou nos genitais, a causa pode ser a urina muito alcalina (cheiro de amoníaco). Às vezes a assadura é pequena, fixando-se apenas em torno do ânus; é a chamada perianite. As assaduras podem ter como causa a monilíase (sapinho), que apresenta uma cor vermelha e brilhante com contorno branco, e que deverá ser tratada com antifúngicos. A assadura da urina se deve ao amoníaco que se forma quando demoramos para trocar as fraldas, como acontece de noite. Um outro tipo de assadura, que aparece nas crianças maiores, é causada pelas fraldas muito apertadas.

Cuidar da saúde da criança: tosse crônica

A tosse crônica geralmente é apenas um sintoma comum a vários distúrbios simples, mas pode estar associada a uma doença grave. Portanto, a tosse crônica não é uma doença e sim um sintoma que indica a presença de uma doença que precisa ser descoberta e tratada. A tosse é denominada crônica quando ultrapassa duas ou três semanas, apresentando-se como um recurso do organismo para soltar os irritantes da árvore respiratória, como corpos estranhos, gases irritativos, fumaça, poeira e o excesso de escarro.

Assim que a criança começa a apresentar alguns sintomas de tosse frequente, os pais devem observar as características dessa tosse, se é tosse seca, com catarro, horário em que a tosse é mais frequente, se há rouquidão etc. A sinusite, por exemplo, causa tosse durante a madrugada e ao acordar; já a tosse noturna, acompanhada de engasgos, pode estar relacionada a um refluxo gastresofágico, doença em que o alimento do estômago volta para o esôfago podendo ser aspirado para o aparelho respiratório (mais comum em crianças pequenas).

Nas bronquites, a tosse é manifestada após realização de esforço físico, e é seca. Quando a criança apresenta a tosse crônica relacionada à diarréia, é sinal de que está com algum tipo de infecção ou com uma doença genética chamada mucoviscidose, onde a criança tem escarro espesso e suor salgado.

Se, juntamente com a tosse, o paciente apresentar emagrecimento, pode se tratar de tuberculose. Se apresentar coceira nasal, pode ser uma tosse de fundo alérgico. Um fator importante e grande causador da tosse crônica é o fumo passivo. A criança aspira a fumaça de pessoas que fumam em casa e se torna uma fumante involuntária. Por isso, o fumante deve acender seu cigarro fora de casa e só entrar no mesmo ambiente em que a criança estiver 30 minutos após ter apagado o cigarro, para dar tempo do pulmão exalar toda a fumaça.

Cuidar da saúde da criança: tomar a temperatura

Para ver se a temperatura de uma criança ou bebê está normal é preciso alguns cuidados. Podemos medi-la na boca, no reto ( introdução do termômetro no ânus), embaixo do braço (axila) ou na pele. Vamos falar só da temperatura axilar, que é mais usada entre nós. Ao pegar no termômetro não devemos colocar a mão na ponta dele. Quando colocamos o termômetro na criança ela dever estar sem agasalho e com a pele abaixo do braço bem seca.

Manter a temperatura é muito importante para o corpo. É por isso que ela varia muito pouco, entre 36 e 36,9. Na criança de poucos meses, ela varia de 36 a 37,3, normalmente. Se houver alguma dúvida, não custa repetir a leitura meia hora depois. Às vezes, principalmente nos dias frios, as crianças podem ter temperaturas um pouco mais baixas, chegando até 35,5, mas se o aspecto geral da criança estiver bom, não há problema. A não ser que se trate de crianças muito pequenas, principalmente prematuras; é preciso, então, cuidado maior, pois a temperatura baixa não é bom sinal. Em geral a temperatura acima de 37 pode ser considerada febre, e requer vigilância. Ela pode desaparecer espontaneamente ou prolongar-se, às vezes atingindo níveis bem altos. Se o bebê tiver menos de 1 mês, temperaturas que cheguem a 38 devem ser objeto de consulta médica o mais cedo possível.

Até os 3 meses, temperaturas de 38,5 ou mais podem ser sintomas de doença séria. E se a febre atingir 39, em qualquer idade, é essencial que o médico saiba. Além de febre, é preciso verificar o estado da criança: abatimento, palidez repentina, extremidades ou os lábios de cor roxa, falta de disposição para comer e para brincar, entre outros, são elementos que devem ser levados em conta. Uma coisa importante: se conseguimos baixar a febre e a criança melhora bem, voltando a sorrir, provavelmente a doença não é grave. Acostume-se a beijar a testa da criança todos os dias para sentir se ela está mais quente do que deve. Afinal, um beijo - não importa por qual motivo - é sempre um carinho.

Para cuidar da saúde da criança há diversas opções de produtos para auxiliar os pais, como o termômetro para tomar a temperatura, aspirador nasal e dosador de medicamentos. E também como manter a higiene é importante, os papais e as mamães podem escolher alguns produtos que os auxiliem como kit de manicure e produtos para higiene oral.

Publicação:
Janeiro 2000 - Edição: 03

Avaliar:(+ ) (- ) +-