MARCAS
VEJA TODAS AS MARCAS
Alô Bebê na Copa
Você está em: Portal > Revista > Desenvolvimento infantil: importância dos contos de fadas para as crianças
Assunto: Comportamento

Desenvolvimento infantil: importância dos contos de fadas para as crianças

01/04/2004 - Texto por Yeda Timerman


 

Era uma vez um mundo novo no imaginário de uma criança, com personagens que vivem conflitos e heróis que trazem esperanças renovadas. Histórias que começam com princesas maltratadas e príncipes solitários e terminam com casais felizes fazem parte do universo dos contos de fadas. De geração em geração, Branca de Neve, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho são histórias que permanecem intactas e o mais interessante é a razão de todo o processo que envolve essas lendas infantis.

A importância dos contos de fadas

 

A permanência dos contos de fadas ao longo do tempo ocorre, justamente, porque atende aos apelos do ser humano. E o que existe por trás de seus enredos? Segundo a professora de psicologia da educação da PUC, Neide Saisi, eles respondem às nossas necessidades, angústias, medos e, de forma inconsciente explicam a realidade.

As crianças demonstram grande interesse porque essas histórias apresentam, de alguma forma, a solução para seus medos e angústias. Medo de ser abandonado pelos pais, de escuro, de bichos e tantos outros. Medos que fazem parte da insegurança natural de uma criança. Em contato com a história a criança projeta seu mundo nos personagens e eles atuam de modo a colaborar na resolução desses sentimentos. "Muitos processos ocorrem quando a criança escuta uma historinha. Ela se identifica, sofre, comemora, enfim, vivencia de forma inconsciente a historia que está ouvindo. E, com isso, consegue criar dentro de si ferramentas para vencer os dramas superados pelos personagens, uma vez que eles mesmos mostram que venceram. E fica aliviada e contente ao saber que existe esperança para solucionar todos os problemas, como os seus próprios", explica Neide.

Nos contos de fadas podemos encontrar a figura do pai herói, que protege e soluciona os conflitos, como o caçador, personagem de Chapeuzinho Vermelho. A criança se sente realizada ao saber que mesmo diante de um conflito que parece insolúvel (o lobo mau devora a vovozinha) o personagem está a salvo graças à intervenção heroica do caçador, ou seja, o pai salvador. As histórias também ajudam a criança a amadurecer. São um caminho de esperança para problemas que parecem não ter solução. Com isso os pequenos ganham ânimo para enfrentar as questões do dia a dia.

É comum uma criança pedir para ouvir a história diversas vezes. A repetição, na verdade, é uma forma de ajudá-la na elaboração de angústias e conflitos. Nós adultos, por exemplo, repetimos um fato ruim que nos aconteceu. O rompimento com o namorado é motivo para dias e dias da mesma história. Não vamos solucionar o problema, mas a repetição ajuda na elaboração de respostas inconscientes, que fazem com que solucionemos a questão internamente. 

Historinhas do Bem

 

Não só os pais, mas a escola também deve incentivar a leitura e outras atividades relacionadas aos contos. O desenho, a encenação e a discussão são atividades que ajudam os pequenos na elaboração de conflitos e também colaboram para a criança pegar gosto pelo material escrito, preparando-a, assim, para a alfabetização. Existem algumas maneiras de tornar a história mais interessante e compreensível. O interlocutor pode, por exemplo, mudar a entonação em cada personagem fornecendo, assim, material para o imaginário do pequeno ouvinte.

Quando se identifica com um conto, a criança presta atenção, pede para o adulto repetir a história e até corrige, quando sente falta de algum trecho. Enfim, demonstra seu interesse, que se justifica porque o conto lhe traz elementos que fazem sentido de modo inconsciente. Quando existem elementos ameaçadores, no entanto, a criança pode não suportar a tensão. Precisamos respeitar o nível emocional da criança. A solução deve ser rápida, ou seja, as histórias longas com conflitos extensos não servem, porque o nível de ansiedade gerado é muito grande.

A resposta vem da própria criança. Quanto mais calma e sorridente se mostrar, maior a indicação do embarque no mundo do imaginário. Crianças que crescem ouvindo historinhas estarão possivelmente mais tranquilas para enfrentar os desafios do mundo. E nutrí-las de carinho e atenção são elementos indispensáveis para que vivam com segurança sua história pessoal.

Publicação:
Abril 2004 - Edição: 20

Avaliar:(+ ) (- ) +-