Compartilhar com
 

Dicas de travesseiros para recém-nascidos

bebê deitado

Como escolher o travesseiro ideal?

Garantir uma boa noite de sono aos filhos é uma das preocupações frequentes dos pais. E elas aumentam quando são recém-nascidos. Em especial, em relação ao travesseiro para bebê. Afinal, como saber quando usá-lo e qual o modelo mais apropriado?

De acordo com os especialistas, nos primeiros meses de vida não há necessidade de colocar travesseiro no berço do recém-nascido, sendo o mais indicado dormir em uma superfície firme, plana e macia, acomodando bem a coluna do bebê.

A partir dos seis meses, a criança já pode usar um travesseirinho. No entanto, ele deve preencher o espaço entre o colchão e a cabeça da criança. Assim, a coluna permanecerá alinhada e as vias respiratórias livres.

Na dúvida, o indicado é que a mãe busque informações com o pediatra. Se necessário, quando for levar o bebê para uma consulta, tire as dúvidas levando o travesseirinho para que o médico possa averiguar a altura.

Tipos de travesseiros para bebês

Quem pensa que travesseiro de bebê é tudo igual, está muito enganado. Há versões que vão muito além de serem antialérgicos e antiácaros:

Travesseiro anti-sufocante

Possui furos em locais estratégicos que possibilitam o bebê respirar normalmente. O travesseiro possui orifícios que permitem a circulação do ar, ideal para o sono saudável da criança. Reduz o risco de asfixia e proporciona tanto ao bebê quanto aos pais uma noite mais tranquila.

Travesseiro de memória

Protege o formato redondo e sensível da cabeça do bebê. Com isso, ajuda a reduzir os efeitos da Síndrome da Cabeça Chata (Plagiocefalia). Além de ser anatômico e confortável, conta com o benefício da tecnologia Airflow, que controla a umidade e aumenta o fluxo de ar até a posição aconchegante para o bebê.

Travesseiro anti-refluxo

Possui uma inclinação que facilita a digestão e respiração. Tem a inclinação correta recomendada por pediatras, mantendo elevada a cabeça e o tronco do bebê, facilitando assim, a respiração e a digestão e aliviando a possibilidade de refluxos.

Qual o tamanho recomendado?

Vários fabricantes oferecem travesseiros especialmente projetados para crianças pequenas. Eles são menores do que os tradicionais com dimensões por volta de 30,5 cm x 40,6 cm e espessura entre 5,1 e 7,6 cm. O tamanho menor, elimina o excesso de tecido que pode causar risco de sufocamento. Os travesseiros infantis são também mais firmes do que os travesseiros típicos de adultos.

Selecione um travesseiro de tamanho padrão se um infantil não estiver disponível. Ele mede 50 x 65 cm. Não permita que a criança durma com mais de um travesseiro padrão de uma só vez. Se ela dormir em uma cama de casal, remova os travesseiros extras para que fique apenas um enquanto ela dorme.

Quando substituí-lo?

Quando notar que o pescoço do bebê está inclinado para baixo, é hora de substituir o travesseiro por outro mais alto. Quando a criança trocar o berço pela cama, adquira um travesseiro próprio para adulto, porém um pouco mais baixo.

Cuidados com o travesseiro

- Para garantir a saúde da criança, o travesseiro deve ser higienizado corretamente. Se o seu filho for alérgico o cuidado deve ser redobrado, mantendo-o livre dos ácaros, fungos e outros microrganismos. 

- Existem no mercado algumas versões de travesseiros antialérgicos e antiácaros. Porém, o tecido deve ser lavado e a fronha trocada. Confira as orientações para higienização na etiqueta, pois há modelos que não podem ter contato com água.

- Verifique se ele pode ser seco por dentro, pois o ambiente úmido e quente favorece a proliferação de fungos e bactérias. Uma boa dica é adquirir materiais mais porosos, que facilitam a ventilação interna e ajudam a secar o travesseiro rapidamente. 

Vale lembrar…

- Ensine ao seu filho sobre como manter o travesseiro sob a cabeça e o pescoço, nunca sob os ombros! Deixar o travesseiro sob os ombros os eleva para frente, pressionando os pulmões e as curvas da coluna.

- Cubra o travesseiro da criança com uma fronha removível e lavável. Elas estão disponíveis em diversos estilos e cores. Para envolver sua criança nessa transição para o travesseiro, deixe-a escolher a fronha.

- Faça com que seu filho experimente alguns travesseiros em uma posição reclinada, para determinar qual deles fornece o melhor suporte para a cabeça e o pescoço.

- Nunca coloque um bebê sobre um travesseiro. Isso aumenta o risco da Síndrome de Morte Súbita e pode sufocar um bebê ou uma criança pequena

Agora que você já sabe tudo sobre travesseiros para bebê, confira as diversas opções disponíveis na loja online de Alô Bebê!