Acidentes não intencionais com crianças

"Salvar a vida de uma criança a cada dia" é a missão do Criança Segura, um programa nacional de prevenção de acidentes.

Criado em 1987 nos Estados Unidos, o Safe Kids reduziu o índice de mortes provocadas por acidentes não intencionais com crianças e adolescentes norte-americanos em 35%. O sucesso da iniciativa, que promove campanhas e alertas públicos sobre o assunto, levou à criação do Safe Kids WorldWide, uma rede internacional de programas comprometidos com a prevenção desse tipo de acidente, hoje presente em 19 países.

No Brasil, há uma diferença no trabalho que começa a ser desenvolvido pelo Criança Segura. O programa terá, aqui, estrutura própria, como acontece nos EUA. Nos demais países que adotaram a ideia, a proposta é colocada em prática através de outras organizações públicas e privadas.

Principais causas dos acidentes com crianças

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, as principais causas de mortes e sequelas de crianças entre 0 e 14 anos de idade são acidentes com veículos e atropelamentos, seguida de casos de afogamento e sufocamento. Depois vêm quedas, queimaduras, choques elétricos, envenenamento químico, armas de fogo, ciclismo e envenenamento animal.

Como prevenir acidentes com crianças?

A informação é o melhor caminho para reduzir os acidentes com crianças. Veja a seguir algumas dicas da ONG Criança Segura para prevenção de acidentes. Outras informações sobre o trabalho da instituição e mais dicas de segurança podem ser obtidas no site: www.criancasegura.org.br

Afogamento - podem acontecer não somente no mar, rios e represas. Para crianças muito pequenas, começando a andar, três dedos de água representam um perigo. Dessa forma, os afogamentos podem acontecer em piscinas, baldes, banheiras e vasos sanitários.

- Esvazie baldes, banheiras e piscinas infantis depois do uso e guarde-os sempre virados para baixo e longe do alcance das crianças.

- Conserve a tampa do vaso sanitário fechada, se possível lacrada, se possível, com algum dispositivo de segurança à prova de criança ou mantenha a porta do banheiro trancada.

- Boias e outros equipamentos infláveis passam uma falta segurança. Eles podem estourar, virar a qualquer momento e ser levado pela correnteza. O ideal é que a criança use sempre colete salva-vidas quando estiver em embarcações, próxima a rios, represas, mares, lagos e piscinas, e quando estiver praticando esportes aquáticos.

Arma de fogo - até os oito anos de idade as crianças não conseguem distinguir entre armas reais e de brinquedo ou entender completamente as consequências de suas ações. E ainda, crianças de três anos de idade são fortes o suficientes para puxar o gatilho de muitos revólveres.

- Sempre guarde as armas de fogo descarregadas, travadas e fora do alcance das crianças;

- Guarde as munições em um lugar trancado, separado da arma;

- Mantenha armas guardadas com chaves e lacres de combinação escondidos em lugares separados;

Atropelamentos - Na hora de atravessar a rua, crianças não devem ser deixada sozinhas. O risco de ocorrer um acidente pode ser reduzido com o exemplo dos adultos e com o ensino de um comportamento seguro para pedestres.

- Entradas de garagens, quintais sem cerca, ruas ou estacionamentos não são locais seguros para a brincadeira da criançada;

- Tenha certeza de que os pequenos fazem sempre o mesmo trajeto para destinos comuns (como casa-escola). Acompanhe a criança para identificar o caminho mais seguro e ensine-a a completá-lo de forma segura e cuidadosa. Escolha o trajeto mais reto, com poucas ruas para atravessar;

- Não permita que uma criança menor de 10 anos ande sozinha pela rua. A supervisão de um adulto é vital até que a criança demonstre habilidades e capacidade de julgamento do trânsito. Segure sempre sua mão, firme, pelo pulso, enquanto estiverem caminhando na rua.

Bicicletas, Skates e Patins - Ao andar de bicicleta, skate ou patins, um dos maiores perigos é a lesão na cabeça, que pode levar à morte ou deixar sequelas permanentes. A maneira mais efetiva de reduzir lesões na cabeça é usar o capacete. Esta única medida de segurança pode reduzir este risco, incluindo a possibilidade de traumatismo craniano, em até 85%.

- Compre um capacete para crianças. Ele deve ter o selo do Inmetro como garantiu de que passou por testes como brinquedo, pois existem normas brasileiras de certificação de capacetes de bicicletas.

- Para andar de bicicletas, as crianças devem sempre usar sapatos fechados e evitar folgados ou soltos.

- Tenha certeza de que a criança está usando o capacete corretamente: centrado na parte de cima da cabeça e com as tiras ajustadas e afiveladas sobre o queixo.

Cuidados com o bebê - Itens aparentemente inocentes, como a torneira do banheiro ou botão perdido, de repente, têm uma grande importância, quando há um bebê no ambiente.

- Seja especialmente cauteloso em relação ao berço. Procure berços certificados pelo Inmetro, conforme normas de segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Fique atento às grades de proteção do berço, que devem estar fixas e não devem ter mais que 6cm de distância entre elas.

 - Remova o berço todos os brinquedos, travesseiros e objetos macios quando o bebê estiver dormindo, para reduzir o risco da asfixia. 

- Para a maior segurança do seu bebê, durante viagens não deixe de levar o berço desmontável, que também é bastante confortável. Nas lojas de bebê Alô Bebê o papai e a mamãe encontram o berço desmontável Camping, que é indicado para crianças de até 3 anos de idade. 

 - Não use toalhas compridas na mesa. O bebê pode puxá-la e derrubar utensílios e líquidos quentes sobre eles.

- Procure adquirir móveis com pontas arredondadas ou considere o uso de pontas de silicone (protetores para quina, travas de armário, trava para gavetas)

Envenenamento (intoxicação) - Colocar objetos na boca ou tentar frascos com líquidos coloridos são comportamentos característicos das crianças, mas que também podem colocá-las em grande risco de envenenamento e intoxicação não intencional.

- Guardo todos os produtos de higiene e limpeza, venenos e medicamentos trancados, fora da vista e do alcance das crianças.

- Dê preferência a embalagens com tampas a prova de abertura por crianças. Essas tampas de segurança não garantem que a criança não abrirá a embalagem, mas podem dificultar bastante, a tempo de que alguém intervenha.

- Nunca se refira a um medicamento como doce. Isto pode levar a criança a pensar que não é perigoso ou que é agradável de comer. Como as crianças tendem a imitar os adultos, evite tomar medicamentos na frente dela.

Esporte e Recreação - Lesões são sempre possíveis durante uma atividade física. As lesões no esporte podem ocorrer como resultado de quedas, batidas, boladas, torções, etc

- antes de começar qualquer esporte, as crianças devem passar por um exame médico completo.

- Verifique se a pessoa que treina a criança está capacitada a prestar um serviço de primeiros socorros em caso de acidentes.

Parquinhos

- Conheça os parquinhos onde as crianças brincam. Procure equipamentos apropriados para a idade das crianças e verifique se os equipamentos estão enferrujados, quebrados ou contêm superfícies perigosas. Denuncie qualquer problema à escola ou ao órgão responsável;

- O parquinho dever ser instalado em piso que absorva impacto, como um gramado, um piso emborrachado ou areia fina. Jamais deve ser instalado em piso de concreto ou pedra;

- Tire o capuz e o cachecol de todas as crianças para evitar perigos de estrangulamento nos parquinhos.

Queda - representam a principal causa de internação entre os acidentes com crianças e adolescentes com 14 anos de Brasil.

- Instale grandes ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos. As redes devem ter espaços de no máximo de 6cm.

- Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes.

- Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem para fora do prédio ou casa. Além disso, verifique se os móveis e o tanque da lavanderia estão estáveis e fixos.

Sufocamento ou engasgamento - A sufocação ou obstrução das vias aéreas, é a primeira causa de morte, entre os acidentes, de bebê de até 1 ano de idade.

- Corte os alimentos em pedaços bem pequenos na hora de alimentar a criança.

- Remova do berço todos os brinquedos, travesseiros e objetos macios quando o bebê estiver dormindo, para reduzir o risco de asfixia

- Considere a compra de cortinas ou persianas sem cordas para evitar que crianças menores corram o risco de estrangulamento.

Fonte: http://criancasegura.org.br