Atividades físicas para crianças

 

É videogame para cá, filme para lá, e o sofá se tornou o melhor amigo das crianças. Pesquisadores da Universidade de Ciências da Saúde da Geórgia (EUA) acompanharam por 13 semanas consecutivas mais de 200 crianças (de 7 a 11 anos) sedentárias e com sobrepeso. A pesquisa apontou que a prática de atividades físicas por crianças, realizadas de 20 a 40 minutos, diminuem as chances de desenvolver depressão e elevam a autoestima. Quanto mais tempo praticar, melhores serão os resultados, indica a pesquisa.

A introdução do esporte na rotina das crianças parte geralmente dos pais. Eles precisam estimular e apresentar as modalidades que julgam ter o perfil do filho. Não dá mais para matricular no ballet só porque é menina e no futebol por ser garoto. Forçá-los a praticar determinada atividade não dará resultados, pois o exercício deve ser um momento divertido do dia a dia. “Nessa hora, o importante é ter paciência e testar atividades, para que a criança vivencie novas experiências. Esse é o principal segredo da permanência na atividade”, explica Fabiano Borsato, diretor da academia R. White Fitness Wellness.

Embora a prática esteja ligada diretamente ao físico, os benefícios para a mente também têm reflexo no caráter e no poder de integração. “Com os exercícios aprendemos a lidar com a vitória e a derrota, a disciplina e o respeito. Até mesmo os adultos deveriam praticar esportes para assimilar esses ensinamentos no dia a dia, assim teríamos um mundo mais saudável e educado”, explica.

Os esportes melhoram a motricidade, dão agilidade, amplitude de movimentos e desenvolvem plenamente a capacidade de correr e arremessar, além do raciocínio rápido. Mas não é só o exercício que promove tais benefícios, a rotina da casa precisa mudar, começando por uma alimentação saudável – principalmente para as crianças acima do peso. Evite incluir na lista de compras doces, balas e refrigerantes.

Estimule a atividade física para criança

Enquanto para os pais os benefícios estão na saúde, para os pequenos a motivação vem da possibilidade de fazer novos amigos e de se divertir. O esporte caminha com o bem-estar e, para isso, o exemplo deve vir de casa. Não adianta nada matricular o filho, se os próprios pais não são adeptos de práticas saudáveis.

A participação dos adultos conta muitos pontos a favor para a atividade física para a criança. Essa interação tende a estreitar a relação e a acalmar os ânimos, já que ocorre a liberação de hormônios, como a endorfina, responsável pelo bem-estar. Rodrigo Munhoz vivencia esse desafio de perto com três filhos, que têm personalidades totalmente distintas. “Um gosta muito de correr, outro, de nadar, e a menina prefere os jogos”, conta o pai, que sempre arrisca umas braçadas na piscina com o trio. Matriculados na aula de natação e de educação do movimento, no Clube Paineiras do Morumbi, em São Paulo, as crianças gostam da possibilidade de interagir com outros amigos, e não só da competição.

A prática regular de determinada atividade física faz a criança aprimorar seu desempenho. “Depois de alguns meses de natação, eles começaram a propor novos jogos e pedir para ir mais vezes à piscina. A cada dia isso aumenta”, conta Munhoz. Com o passar do tempo, a criança tende a fazer do exercício um hábito para a vida toda. Não há contraindicações para quem gosta de competir. Fabiano Borsato defende o esporte como um complemento dos valores transmitidos pela família. “No esporte, o incentivo do grupo e a capacidade de saber perder estão entre os princípios éticos”, ressalta o diretor. Agora, se a vontade de vencer se tornar uma obsessão, aí é hora de sentar e conversar para evitar possíveis frustrações.

Independentemente da atividade física escolhida, o importante é enxergá-la com prazer, e, se no futuro essa paixão aumentar, as medalhas serão uma consequência.

Atividade física para criança: um exercício para cada fase

O interesse varia de pessoa para pessoa, mas a idade também influencia na escolha do esporte. Os pequenos preferem atividades mais lúdicas, por exemplo. Expert no assunto, Borsato indica as modalidades de atividade física para criança recomendadas para cada faixa etária:

Até 5 anos

Natação: uma boa escolha desde os primeiros meses, já que a sensação se aproxima de quando o bebê ainda estava dentro do útero;
•Ginástica artística: trabalha diferentes habilidades e a coordenação motora;

•Ballet, taekwondo e judô: uma forma lúdica e relaxante para trabalhar a coordenação motora;

•Bicicleta: perfeito para o desprendimento dos pais, um excelente exercício aeróbio e de equilíbrio;

•Atletismo: indicado para trabalhar o equilíbrio e a coordenação motora;


De 6 a 11 anos

•Futebol, futsal, vôlei, basquete, handebol, tênis, hóquei, vela, remo e Ioga;

•Atividades que trabalham a coletividade e o condicionamento físico;


De 12 a 15 anos

•Alongamento, musculação, jumping, boxe, hip-hop, basquete e vôlei;

•Competições de esportes coletivos que desenvolvam o senso de equipe;


Acima de 16 anos (e para toda vida)

•Ginástica localizada, running, bicicleta indoor e pilates;

•Práticas que exigem concentração, esforço físico e habilidades específicas.