Beleza e bem-estar durante a gravidez

A lista de cuidados que as futuras mamães precisam tomar para se manterem bonitas durante a gravidez inclui medidas simples que são normalmente ignoradas. Quem sempre tomou conta do peso, praticou exercícios físicos, se alimentou corretamente larga na frente quando o assunto é se manter bonita durante e depois da gravidez.

Além de controlar o peso, de manter uma alimentação balanceada e de seguir um pré-natal rigoroso, alguns "conselhos" têm resultados práticos que vão além dos elogios: sentir-se bem e bonita influência na autoestima da mulher e beneficia o desenvolvimento do bebê. A Alô Bebê colheu dicas de como e quando começar a investir numa gravidez plena em saúde e beleza.

Use Filtro Solar

Já se sabe que o sol tem efeito cumulativo sobre a pele. Quem ficou muito tempo exposto ao astro rei sabe que pode ter consequências na estética e na saúde. Segundo Maria Bussade, dermatologista, durante a gravidez podem surgir manchas na pele (melasmas ou cloasmas) em consequência do sol ou da combinação de fatores genéticos e hormonais. Para tentar evitar danos, o melhor remédio ainda é o filtro solar.

Ele é prático, indolor e fácil de aplicar - espalhar generosamente cerca de 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicá-lo a cada três horas. O grau de pigmentação da pele (fototipo) é o que determina o fator de proteção usado, quanto mais clarinha a pessoa, mais alto é FPS. Mas para as gestantes, a dermatologista indica os produtos que contenham FPS UVB 30 e proteção UVA. Para o rosto e o pescoço, a médica ainda recomenda o uso de maquiagem com filtro.

Hidrate-se por dentro e por fora

O maior órgão do corpo humano também sofre alterações durante a gravidez. A pele tende a ficar mais sensível, ressecada e a perder a elasticidade. Para prevenir tudo isso o mercado dispõe de vários cremes, mas os que são feitos à base de macadâmia e avelã desempenham papel satisfatório quando a intenção é manter a elasticidade e prevenir estrias. Produtos tradicionais como os óleos de banho ajudam a umectá-la, o de maracujá gelificado é rico em ácidos graxos. Evite também banhos muito quentes. Tomar água precisa virar um hábito, cerca de dois a três litros por dia. Além de conduzir nutrientes pelo nosso organismo, ela irriga a pele e a mantém hidratada.

Limpe-se

Cravos e espinhas são um inconveniente comum durante a gestação. Por isso, a pele precisa estar sempre limpa. O ideal é usar sabonetes neutros ou glicerinados e enxaguá-la bem, para evitar que se acumulem resíduos. Uma boa aliada é a bucha vegetal. Ela não agride a pele e promove uma esfoliação leve, o que auxilia a remover cravinhos e células mortas. A dermatologista Maria Bussade indica o uso da bucha uma ou duas vezes por semana. Dê atenção aos dedos dos pés, às axilas e a outras dobras do corpo. Quando não são bem limpos e secos tornam-se locais ideais para a proliferação de fungos e bactérias.

De olho no cosmético


É preciso se informar antes de usar esses produtos de beleza. Alguns deles contêm ácidos que podem irritar a pele, ainda mais sensível nesse período. O uso do ácido retinoico, por exemplo, deve ser suspenso durante a gravidez "pelo risco de má formação fetal", afirma a dermatologista. Já o ácido ascórbico, a vitamina C, pode auxiliar na hidratação da pele, assim como os produtos à base de AHA (Alfa Hidróxi Ácidos). Esses ácidos não são eficientes em caso de manchas, mas afinam a textura da pele e melhoram sua aparência. Para hidratação, a médica recomenda os cremes à base de cermanidas, dexapantenol e vitamina E. Importante - esses cosméticos devem ser usados após o terceiro mês de gravidez e sob orientação médica.

Movimento a favor das meias elásticas

Não há perna que passe intacta por nove meses de gestação. Além de ter de suportar mais peso, elas não podem contar que suas válvulas venosas funcionem a todo o vapor. Segundo o ginecologista e obstetra Felipe Dorgon, ao crescer, o útero pressiona as veias da região pélvica e a cava inferior (responsáveis por drenar o sangue proveniente dos membros inferiores e da cavidade abdominal), aumentando a pressão sanguínea nos vasos das pernas. As veias também dilatam em virtude de alterações hormonais e esses sintomas juntos causam um problema estético e de saúde, as varizes. Para tratá-las, a medicina dispõe da escleroterapia química e da laser escleroterapia, o laser endovenoso. Mas como prevenir é bem melhor que remediar, defendemos o uso de meias elásticas. Elas ajudam a combater a dilatação dos vasos e o surgimento de varizes, promovem a diminuição do inchaço e da sensação de peso nas pernas.

Planejamento de beleza

Não são só as varizes que acometem as pernas na gravidez. A gestante tem de ficar de olho na flacidez, celulite e nas estrias que aparecem em outros lugares, como a barriga. Quem não quer comprometer tem que começar a investir cedo. Para Luciana de Carvalho, educadora da Triathon, quem praticou exercícios físicos antes de engravidar garante mais saúde e disposição nesse período. Com músculos tonificados, a gestante volta ao peso anterior com mais facilidade Inelia Garcia, diretora Pilates Studio® Brasil, garante que a gestante que praticou pilates antes de engravidar terá o corpo mais preparado para enfrentar nove meses com um bebê barriga. Além de ter mais energia e disposição, o organismo tende a voltar ao peso e condições anteriores   à gravidez mais rapidamente. 

Aprecie com moderação

Se você não frequentou academia antes de engravidar, não vai ser durante a gravidez que vai conquistar um corpo sarado. Mas se exercitar faz bem e você precisa de duas coisas para começar a se mexer: primeiro - o aval do médico, segundo - começar uma rotina de exercícios leves. A dica da educadora física para quem está liberada pelo obstetra combina exercícios moderados, caminhadas leves e alongamento. Segundo Rogério Abdo Neser, coordenador científico do Departamento de Cirurgia Vascular e Angiologia da Associação Paulista de Medicina, as caminhadas moderadas promovem o bombeamento do sangue para cima, aumentado a eficiência circulatória. Luciana de Carvalho afirma que a hidroginástica pode ser boa pedida. Além de ser um exercício de baixo impacto é indicada para tonificar os músculos. A água também promove sensações de acolhimento e relaxamento. Mas lembre-se, começar qualquer exercício nesse período requer cuidados redobrados e acompanhamento médico.

Tudo é uma questão de manter a mente quieta e a espinha ereta

A combinação excesso de peso e ansiedade afeta a coluna e a mente da gestante. Alguns exercícios prometem aliviar a carga sobre ela e colocar corpo e mente nos eixos. Entre essas práticas estão a ioga, o alongamento e o pilates. A maioria tem exercícios de baixo impacto que garantem o trabalho corporal e o bem-estar da gestante, além de aliviar a dor lombar e relaxar a musculatura. Eles podem ser praticados após o terceiro mês de gravidez e, principalmente as gestantes sedentárias, precisam de aval médico, as hipertensas não podem praticar. Segunda Inelia Garcia, o pilates é ideal para equilibrar corpo e mente, colocando a coluna em seu eixo. Durante a gravidez, o ideal são exercícios adaptados, mais leves e que não forcem a região abdominal. Para o quiropraxista Jason Gilbert os cuidados com a coluna vertebral devem ser observados durante toda a vida, mas na gestação os problemas da região se acentuam. A prática resulta em tratar e prevenir, por meio de técnicas manuais, irregularidades no sistema neuro-músculo-esquelético. Segundo Gilbert, desorganizado, esse sistema compromete toda a saúde.