Como evitar que as crianças fiquem resfriadas na mudança de estação

Como evitar resfriados nas crianças

Além de ser uma estação de temperaturas amenas e de transição, o outono é conhecido por ser a época dos resfriados infantis. O fim do calorão, o aumento dos ventos e a redução da umidade do ar podem deixar o nariz vermelho e escorrendo, mas bons hábitos vão ajudar o seu filho a não se resfriar durante todo o trimestre.

Seus filhos tendem a ficar resfriados durante essa estação porque o ar seco facilita o aumento da poluição e a proliferação dos vírus. Em regiões como o Centro-Oeste, por exemplo, o perigo é tão grave que é possível se deparar com pessoas usando máscaras hospitalares nas ruas e filas nos hospitais.

O resfriado pode ser causado por mais de cinco famílias diferentes de vírus, sendo o mais comum o do rinovírus, que se divide em mais de 100 subtipos! Com tantas possibilidades, é impossível desenvolver uma vacina eficiente para a doença (ao contrário da gripe, que já tem vacinação gratuita para os pequenos) e é por isso que o mal-estar é tão frequente.

O calor do verão acabou de ir embora e, se você começar a prevenção agora mesmo, ainda dá tempo de evitar que o seu pequeno fique doente. Saiba tudo sobre essa ameaça para poder se prevenir durante o outono:

COMO É ESTAR RESFRIADO

O resfriado atinge as vias aéreas superiores do corpo, como nariz, laringe e faringe. É por isso que o seu pequeno fica fungando, com coriza e nariz congestionado quando está resfriado. Espirros, tosse e dores leves no corpo também são sintomas da doença. Diferentemente da gripe, ele ataca devagar, então o pequeno não vai acordar se sentindo mal de um dia para o outro e serão, no máximo, duas semanas dodói.

Como o resfriado não provoca um mal-estar súbito, é muito difícil que ele afete a rotina da criança. Seu pequeno continuará a se alimentar, a brincar e a aprontar, mas a escola pode recomendar que ele fique afastado por alguns dias para não contaminar os colegas, pois a doença é contagiosa!

É raro que a criança tenha febre. Se houver, você deve levá-la imediatamente ao hospital, pois quer dizer que outras doenças oportunistas podem estar se aproveitando do pequeno, e o quadro pode evoluir para uma gripe ou uma pneumonia, muito mais graves.

Se o caso do seu filho não piorar com o passar dos dias, evite levá-lo ao hospital, pois ele estará propício a pegar outros tipos de doenças nesse ambiente. Prefira deixá-lo de repouso e alimentá-lo bem até que os sintomas vão embora. Entretanto, se ele ainda for um bebê que não desenvolveu totalmente o sistema imunológico ou algum sintoma estiver incomodando muito o pequeno, vão ao médico para aliviar a situação.

A criança também pode ficar muito mais manhosa no período em que estiver resfriada. Tente dar mais atenção para ela, mas sem exageros, e incentive que ela se mantenha disposta e bem-humorada para enfrentar a doença. A Alô Bebê preparou algumas dicas que podem ajudar na prevenção.

PREVENÇÃO FAZ A DIFERENÇA

Para evitar o incômodo resfriado, só mesmo se prevenindo. Não é difícil adotar hábitos saudáveis onde quer que você esteja, então, não tem desculpa para que a doença ataque. Confira.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Uma alimentação balanceada com todos os nutrientes que as crianças precisam é aliada para prevenir resfriados e muitas outras doenças. Por isso, invista em pratos bem coloridos nas refeições principais e lanchinhos naturais, como frutas, sucos e iogurtes. Regule os alimentos industrializados, mesmo se eles forem os favoritos do seu filho. Não esqueça de manter a hidratação em dia: estimule o pequeno a beber bastante água e a dar preferência a essa bebida ao invés de refrigerantes ou sucos industrializados.

AMBIENTES AREJADOS

Ventilação e iluminação solar são essenciais para arejar os ambientes que seu filho frequenta. Por isso, em casa, abra as cortinas e as janelas de todos os cômodos e, se possível, deixe as portas de dentro de casa abertas. Isso faz com que o ar circule e leve embora os micro-organismos causadores do resfriado. Na escolinha, confira se o ambiente costuma estar arejado quando for levar ou buscar a criança. Além disso, evite ao máximo levar o pequeno a locais fechados e com aglomeração de pessoas, pois as chances de adoecer são muito maiores.

NÃO TOSSIR NAS MÃOS

Ensine o seu pequeno a tossir e espirrar da forma correta. Assim ele evitará propagar os vírus da doença e ainda vai fiscalizar os familiares e amigos a fazerem do jeito certo. O ideal é que a criança use um lenço descartável sobre a boca na hora de tossir ou tussa o mais próximo possível ao cotovelo, pois é uma região que fica menos exposta ao contato com superfícies e outras pessoas. Desde cedo, ensine que ele não pode tossir ou espirrar sem uma proteção.

LAVAR AS MÃOS

Bons hábitos de higiene são muito importantes para manter o resfriado bem longe nessa mudança de estação. O pequeno pode adoecer após ter contato com secreções ou superfícies onde o vírus está presente e levar a mão a boca na sequência. Para evitar que isso ocorra, incentive-o a lavar as mãos com água e sabão com frequência, e não apenas depois de usar o banheiro e antes de se alimentar.

EVITE O CONTATO COM PESSOAS DOENTES

Ao saber que o amiguinho está doente, explique para o seu filho que vocês não poderão brincar naquele dia, pois o risco de se contaminar é muito alto. Aplique essa regra para todas as situações da rotina do seu filho para evitar o risco. No entanto, se for inevitável se deparar com uma pessoa resfriada ou se você é quem estiver se sentindo mal, peça para a criança não ficar muito próxima e lavar as mãos após o contato.