Como manter a vaidade na gravidez

Não são poucos os limites impostos às grávidas, mas é necessário separar os fatos dos boatos. A vaidade na gravidez envolve diversas questões, saber se é possível manter os cabelos tingidos e lisos, situação desejada pela maioria das mulheres nos tempos atuais, é certamente a maior dúvida das gestantes.

Porém nem tudo é desespero quando o assunto é vaidade na gravidez, grávida nenhuma precisará se sentir feia. Para manter a coloração dos cabelos, a opção pode ser as colorações à base de henna 100% natural, que não contêm iodo ou amônia em sua composição e, portanto, os médicos acreditam que não prejudicam o feto. Outra saída para manter a vaidade na gravidez é optar por mechas ou luzes, processos que não atingem o couro cabeludo. Os tonalizantes também são aplicados em alguns salões de cabeleireiros, desde que autorizados pelos médicos.

Conforme a dermatologista Roberta Buense, da clínica de dermatologia da Santa Casa de São Paulo, o fato é que "os estudos em relação à toxicidade dos agentes colorantes de cabelos utilizados durante a gestação são controversos e inconclusivos. Há estudos que tentam demonstrar a associação do uso de tinturas de cabelo na gestação ao desenvolvimento do Tumor de Wilms - tumor renal, que surge na infância, e pode ser desenvolvido ainda na fase fetal -, no entanto, não há trabalhos conclusivos nesse aspecto. "O risco do desenvolvimento da doença estaria associado a outros fatores como cigarros, café, chá, hipertensão materna, entre outros", esclarece a dermatologista.

E quanto aos alisamentos modernos, escovas progressivas e definitivas à base de formol? Na verdade eles não são indicados para ninguém, nem para as grávidas, nem para as não-grávidas. É que esses métodos contêm uma quantidade de formol maior que a permitida pela ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária -, o que os torna cancerígenos. Aí, naturalmente, as pessoas perguntam: "e se reduzir a quantidade de formol?" O efeito do produto não será o mesmo, os cabelos não ficarão tão lisos.

Os alisamentos antigos, que não contêm formol em sua composição, não expõem usuários aos riscos do câncer, mas para as grávidas são recomendados apenas a partir do segundo trimestre de gestação. Neste ponto, a especialista chama a atenção para as grávidas que trabalham em salão e estão constantemente expostas a produtos químicos. "As profissionais que trabalham em salões de beleza devem ter atenção especial no período de gestação, por estarem em contato mais frequente com estes agentes químicos", finaliza. Por fim, sempre que pensar em tingir a raiz dos cabelos é melhor esperar passarem os três primeiros meses de gestação para contribuir com a perfeita formação do feto.

Vaidade na gravidez - depilação e maquiagem

A depilação com produtos químicos não está proibida durante a gravidez. Ainda bem, afinal nesse período é comum o excesso de pelos. "Apenas a depilação a laser é contraindicada na gestação, em função da inexistência de estudos controlados em seres humanos. A depilação química, com cera ou com lâmina, pode ser realizada durante a gestação", recomenda a dermatologista. O único inconveniente da depilação com cera é que a grávida é mais sensível à dor, o que pode transformar o processo em algo desagradável. Quando isso acontecer, a velha lâmina pode ser a salvação. Já a descoloração dos pelos entra no mesmo processo do uso de tinturas nos cabelos. Não é recomendada nos três primeiros meses porque os agentes químicos do produto podem entrar na corrente sanguínea da mãe e prejudicar o bebê. A dra. Roberta esclarece que "a inexistência de estudo quanto ao uso de produtos com peróxido de hidrogênio - presente nos descolorantes - faz com que os produtos só sejam recomendados após o primeiro trimestre da gestação". 

O uso de maquiagem é outra dúvida quando o assunto é vaidade na gravidez, pó, base, blush, batom, sombra, máscara para cílios, delineadores - esses produtos podem sim ser usados pela grávida. Os principais componentes utilizados nesses produtos são os corantes, na maioria inorgânicos, que não têm absorção cutânea, portanto, garante a especialista, "não apresentam nenhuma contraindicação durante toda a gravidez". Nessa fase, inclusive, a maquiagem é muito útil para esconder algumas imperfeições provocadas pela gravidez, como disfarçar um nariz inchado com uma base mais escura nas laterais das narinas, cobrir olheiras com um corretivo e, dentre outros, esconder manchas com pó ou base. Outra vantagem é que na gravidez é comum o aparecimento de melasmas - mais conhecidas como as manchas das grávidas - e a utilização de bases faciais (que têm em sua composição o dióxido de titânio, que age como fotoprotetor físico, formando uma camada que bloqueia a ação da radiação ultravioleta sobre os melanócitos) impede o estímulo para formação de melanina, evitando a pigmentação cutânea e atenuando ou prevenindo o aparecimento desta dermatose.