Compartilhar com
 

Cosméticos infantis

Até há alguns anos, tudo o que havia no mercado para bebês eram os sabonetes, shampoos, talco e pomadas contra assadura. Não existiam os lencinhos umedecidos para limpar bumbuns (uma maravilha, de acordo com as mamães que usam o produto), as fraldas descartáveis eram caríssimas e usadas só em ocasiões especiais; não havia óleos, hidratantes, condicionadores e uma lista sem fim de outros produtos destinados a este segmento.

Por isso mesmo é preciso todo o cuidado na seleção de produtos que entram em contato com a pele do bebê, pois ela é muito mais sensível que a do adulto ou a da criança maior, por isso, irrita-se mais facilmente e é mais suscetível à infecção. A pele dos bebês é mais fina, com menor quantidade de pelos e apresenta maior proporção de fluídos minerais extracelulares e vulnerável a diversos distúrbios, como dermatites pelo contato de fraldas, dermatite sebácea, atópica e outros.

Os produtos cosméticos de cuidado da pele do bebê têm como objetivos protegê-la de um meio hostil, limpá-la de sujeiras e resíduos de fezes e urina, e mantê-la seca. Quanto menor a idade do bebê, maior deve ser a qualidade do produto cosmético infantil, já que as defesas do recém-nascido ainda não estão desenvolvidas e são apenas aquelas transmitidas pela mãe. Por isso é preciso sempre escolher produtos de marcas idôneas, prestando atenção à data de validade e aconselhando-se com o pediatra antes de experimentar uma novidade.

Nem sempre o melhor produto é o mais caro: melhor é aquele com o qual a criança se dá bem. Cada criança reage de um jeito aos cosméticos infantis. Algumas fraldas descartáveis, por exemplo, têm perfume muito forte, que pode provocar reações como rinite em alguns bebês; outro fator irritante pode ser o tipo de tecido utilizado nelas; os lencinhos, usados durante a troca de fraldas, também podem provocar alergia, devido a lanolina, presente em sua composição e também em loções para limpeza da pele.

O bebê precisa estar limpo e seco. Para isso, é bom usar sempre sabonete infantil (o sabonete comum, de adulto, só pode ser usado depois dos cinco anos de idade); pomada contra assadura; e essências e óleos, os mais suaves. O talco deve ser evitado, mas pode ser usado em pequena quantidade, sempre sem formar nuvens. A limpeza bucal nunca deve ser descuidada.

 Já as crianças maiores de dois anos podem usar tudo a que têm direito: condicionador para o cabelo (ótimo especialmente para as crianças negras); hidratante (bom quando a criança engatinha, devendo ser passado nas áreas que sofram atrito, como mãos e joelhos); perfume (suave); cosméticos que viram brinquedos, como sabonetinhos e xampus em criativas embalagens. O que deve ser evitado a qualquer custo, é comprar maquiagem infantil, como batons e sombras, em camelôs: por não obedecerem normas nem sofrerem fiscalização, os produtos podem conter metais pesados que afetam seriamente a saúde da criança.