Mamar no peito ajuda no desenvolvimento bucal

A amamentação natural - mamar no peito - no primeiro ano de vida da criança tem indiscutível importância, tanto no aspecto afetivo como no nutricional. O que muitos não sabem, entretanto, é que mamar no peito também é fundamental para o bom desenvolvimento das estruturas da face (ossos, músculos e oclusão dentária). O movimento e a força feitas pela mandíbula ao mamar no peito estimulam o seu crescimento, previnem más-oclusões dos dentes e favorecem a respiração nasal.

O ideal é que a criança mame exclusivamente no seio materno até o sexto mês, sem nenhuma necessidade de chás e água (a não ser por orientação médica). Quando chegar o momento da introdução dos novos alimentos, esta poderá ser feita já no copinho e na colherinha, não havendo necessidade de usar a mamadeira.

Existem no mercado copinhos adaptadores especiais para essa fase de transição. Mesmo o leite materno, quando a mãe não está o dia todo com a criança, poderá ser armazenado e dado com copinho ou colherinha. Tudo isso para que o bebê não queira "trocar" o peito da mamãe pela mamadeira, que lhe exige menos " trabalho" para mamar.

É importante os pais saberem que o movimento que a boquinha do bebê faz para sugar no peito é diferente do movimento feito na mamadeira, mexe com uma musculatura diferente . Se houver a opção por esta última, antes de comprá-la os pais deverão saber que os bicos das mamadeiras:

  • Podem se apresentar em dois tipos de material: silicone e látex

  • Apresentam três tipos de furo: para água, leite, e líquidos mais espessos, que não poderão ser alterados nem no seu tamanho nem na sua localização (furo para "cima")

  • Possuem dois tamanhos: de 0-6 meses e de 6-18 meses, e sua forma deverá ser anatômica (bicos "ortodônticos"). Podem parecer esquisitos, diferentes de quando nós éramos crianças, mas é assim mesmo (desde que você compre de marcas confiáveis).

Se a mamadeira for usada de forma correta, ou seja, a criança ingere o líquido e a devolve ao responsável (pequena "duração" de uso), a utiliza apenas poucas vezes ao dia (baixa "frequência") e não tem propensão hereditária de desenvolver má-oclusão, diminuirá o risco de futuros problemas bucais. A mamadeira deverá ser usada apenas para fins nutritivos, não podendo servir de "chupeta", e deverá ser removida no máximo até os dois anos. A posição correta para mamar (no peito ou mamadeira) é com a cabeça do bebê levemente mais alta que seu corpinho, favorecendo a correta posição da língua e evitando engasgos e otites. Finalizando, o principal é que os momentos de aleitamento, sejam naturais ou artificiais, envolvam muito carinho e prazer entre a mamãe e o bebê !!!