Noções de primeiros socorros

Com um pé na banheira e o outro no piso, Julio César Siqueira escorregou e bateu o supercílio no box, aos dez meses de idade. Elaine Oliveira, sua mãe, se descontrolou ao ver tanto sangue e só conseguiu pensar em pegar uma toalha para pressionar o ferimento. Para esses momentos é importante ter noções de primeiros socorros.

Pensamento rápido e ação fazem dos primeiros socorros práticas bem-sucedidas no caso de pequenos acidentes com as crianças. Por isso, tenha sempre em casa um pequeno kit de primeiros socorros, com esparadrapos, gaze e soro fisiológico.

Isso não substitui a ida ao hospital, mas ajuda. Para Valéria Silva, coordenadora do suporte básico de vida da Sociedade Brasileira de Pediatria, o caso mais grave é quando o pequeno perde a consciência.

Aí sim ele precisa ser levado imediatamente ao pronto socorro. Este não foi o caso de Julio. Eliane fez os primeiros cuidados, mas, assim que terminou, tratou de levá-lo ao médico. “Lá, as enfermeiras limparam e protegeram o local do ferimento com gaze. Fomos encaminhados para o hospital, porque ele precisou levar pontos”, conta a mãe.

Veja a seguir algumas dicas de primeiros socorros:

Cortes e sangramento

A desinfecção é muito importante. Lave o corte só com água, mas, se for mordida de cachorro, é aconselhável lavar com sabão ou soro fisiológico. Comprimir o local com um pano limpo ou com uma toalha até receber os cuidados no hospital ajuda a estancar o sangue.

Queimadura

Nada de passar pasta de dente, clara de ovo, pasta d’água, entre tantas outras receitinhas das avós. Não passe nada. Lave o ferimento apenas com água gelada para diminuir a dor e leve a criança imediatamente ao médico. Podem surgir bolhas ou o produto grudar na pele, e aí será preciso um procedimento muito mais complexo para a remoção.
Para prevenir, use: protetor de fogão, para evitar o acesso das crianças às panelas.

Batida na cabeça

Diziam os mais velhos que, depois da batida na cabeça, a criança não podia dormir. Isso não existe. Se o local da batida ficar inchado, e aparecer um “galo”, faça compressas com água gelada. Só leve ao médico se ela ficar inconsciente, vomitar ou tiver convulsões. Neste último caso, jamais segure a língua, vire-a de lado para não engasgar e ligue o mais rápido possível para a emergência.
Para prevenir, use: protetores na quina dos móveis.

Choque elétrico

Está entre os acidentes mais graves. A criança precisa ser atendida de imediato, pois o choque elétrico chega a causar parada cardíaca e danos aos membros inferiores e superiores. Ligar para o serviço de pronto atendimento e explicar o ocorrido pode ser muito eficiente, assim, os paramédicos levarão equipamentos adequados.
Para prevenir, use: protetores de tomadas.

Ingestão de produto químico

Jamais provoque o vômito ou caia no velho conselho de dar leite para cortar o efeito. A criança precisa ser levada ao hospital, com a embalagem do produto ingerido. Quanto mais informações, melhor. Geralmente, o médico liga para o Centro de Atendimento de Intoxicações e cita as substâncias descritas no rótulo. Juntos, os profissionais determinarão o tratamento adequado.
Para prevenir, use: reserve um armário alto para colocar os produtos de limpeza, inseticidas etc. Use lacradores de portas.

Objeto no ouvido, nariz ou boca

Não piore a situação tentando retirar o objeto, ainda mais se a ideia for contar com o auxílio de uma pinça. Leve a criança ao hospital para que sejam tomadas as providências adequadas. No caso da ingestão de objetos, se a criança não reclamar de dores, o próprio corpo expelirá.
Para prevenir, use: lacradores nas gavetas e nas portas dos armários.

Os acessórios para segurança do lar de excelentes marcas como a Safety 1st, você encontra nas lojas de bebê Alô Bebê.