Os pequenos precisam de óculos? Modelos estilosos que vão fazer eles amarem o acessório

bebê de óculos

A redução de visão nas crianças frequentemente é notada pelos pais ou pelos professores. Se o seu filho precisa espremer os olhinhos para enxergar a televisão ou a lousa, pode ser um sinal de que ele vai precisar de um grande companheiro para enxergar nitidamente: os óculos.

A partir dos três anos de idade, é recomendado levar o seu filho ao oftalmologista. No entanto, se notar que ele não responde a estímulos visuais desde muito cedo, antecipe a consulta, pois doenças infecciosas durante a gestação, como a rubéola ou a toxoplasmose, podem causar catarata e até mesmo cegueira. Em alguns hospitais, em até 48 horas após o nascimento, os médicos realizam o teste do reflexo vermelho nos olhinhos do recém-nascido, que consiste em incidir uma luz de sistema refletor na retina para verificar a simetria entre as cores refletidas e diagnosticar alguns tipos de doenças oculares. Ainda, em caso de parto normal, em até uma hora é preciso pingar uma solução de nitrato de prata para evitar a conjuntivite gonocócica, transmitida pelo canal vaginal da mamãe.

Além dessas doenças, seu filho pode ser acometido pela hipermetropia, o distúrbio ocular mais comum na população, que faz com que a imagem se forme atrás da retina; pela miopia, com formação de imagens antes da retina; e o astigmatismo, que desfoca a imagem na retina.

As crianças também podem ser estrábicas, comumente chamadas de vesgas. Isso acontece quando o músculo ocular não é bem coordenado mesmo após os três meses de idade, e pode ser tratado com um tampão no “olho bom” para desenvolver a fixação do outro. Quanto mais cedo o tratamento iniciar, melhor, pois há mais chances de obter sucesso. Quem agora está passando pelo tratamento é a pequena Titi, filha do casal de atores Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, que tem usado tampões divertidos e estilosos.

Estima-se que até 15% das crianças apresentem problemas oculares que podem comprometer o desempenho escolar. Geralmente, é nessa fase que alguma doença é percebida e diagnosticada, muitas vezes com o uso de óculos. Além da dificuldade de visão, dores de cabeças e vermelhidão nos olhos também podem ser sintomas de que algo não vai bem.

Escolhendo os óculos

Na maioria das vezes os pais ficam mais preocupados do que os pequenos em relação à aceitação desse acessório. Entretanto, fique tranquilo, pois, quando os papais apresentam a novidade de forma positiva e elas percebem que a visão é muito melhor com os óculos, as crianças vão fazer questão de usá-los. Se houver relutância, converse com o pequeno e combine de usar o acessório também para que ele não se sinta “esquisito”.

Para escolher a melhor opção para o seu filho, é preciso levar em consideração que a infância é um período de muita agitação e movimentação. Além disso, a base nasal dos pequenos pode não estar totalmente desenvolvida, dependendo da faixa etária, e haverá pouco apoio para fixar o acessório. Por isso, invista em armações resistentes, mas que sejam maleáveis para proporcionar conforto, como as de nylon flexível ou silicone, além de lentes inquebráveis e leves, e verifique a necessidade de usar fitas por trás da cabeça que mantenha os óculos estáveis.

Tente levar a criança junto para escolher um par de óculos que a agrade, principalmente se ela já for mais velha e responsável. Como o acessório passará a maior parte do dia em seu rostinho, elas vão adorar usar um modelo que combine com seu estilo, como as tendências a seguir:

Coloridos

Geralmente feitos de acetato, o material é leve, prático e resistente. No entanto, a maioria dos óculos de acetato não possui os ajustes na região do nariz e, por esse motivo, podem não ser adequados para o formato de rosto do seu filho. Se encontrar um que combine perfeitamente, peça para dar uma olhada nas opções de cores e estampas, pois o material é muito variável e fashion.

Transparente

Armações transparentes são, além de fashion, uma opção acertada se o seu filho está relutante para usar o acessório. Uma variação em prata também será muito discreta, ainda mais de o modelo não tiver parafusos aparentes. Evite as lentes grandes demais, que ficam sobrando na parte de baixo.

Gatinho

Os famosos óculos do tipo gatinho, com um leve prolongamento da borda superior, continuam charmosos, principalmente para as meninas, mas não combinam com todos os tipos de rostos. Eles podem ser feitos de acetato ou de fibra de algodão, e os papais devem preferir uma opção que envolva toda a lente devido à falta de cuidados da criança.

Aviador

É recomendado para os pequenos a partir dos sete anos ou apenas para ocasiões especiais, pois o material é fino e frágil, e possuem plaquetas de borracha na região do nariz, para o ajuste perfeito. Modelos do tipo aviador são os mais estilosos, praticamente semelhantes aos óculos de sol usados pelos papais.