Proteção solar: essencial para o dia a dia do seu pequeno

Proteção solar

O sol é uma fonte de energia muito importante para a manutenção da vida, inclusive a do seu filho. Mesmo assim, não abuse: o excesso pode fazer mal para as crianças, principalmente para aquelas que não estão protegidas contra os raios solares.

Independentemente da idade do seu pequeno, ele pode aproveitar para sair ao sol e obter seus benefícios, como a produção de vitamina D. Ela é essencial para a absorção de cálcio, para fortalecer o sistema imunológico e para regular os hormônios, e o sol é o responsável por cerca de 80 a 90% de sua obtenção. Enquanto o seu filho é um bebê, o banho de sol é recomendado pelos pediatras, pois ele atua como agente produtor dessa vitamina.

No entanto, além de ser o principal responsável pelo câncer de pele, o sol pode causar outras doenças, como dermatites e urticárias em casos mais graves. A insolação e a desidratação também são perigos da exposição solar para a saúde das crianças e até mesmo os olhinhos sensíveis podem ser prejudicados: quem não protege os olhos na infância têm mais chances de desenvolver catarata, lesões na retina e outros problemas de visão mais para frente.

Embora a incidência de luz solar seja muito mais intensa durante o verão, nas estações mais frias do ano, como o outono que acaba de chegar, os raios solares também estão presentes, mesmo que você não os perceba. Os de tipo UVA, UVB e infravermelho são preocupantes, pois eles deixam vermelhidão, causam envelhecimento e aumentam o risco de câncer na pele.

Por ser tão essencial e, ao mesmo tempo, tão perigoso, a exposição aos raios solares precisa ser muito bem controlada. Cuidados básicos, como evitar sair ao sol entre 10h e 16h, beber bastante água e ficar à sombra, já ajudam os pequenos a ficarem longe dos malefícios, mas você também deve investir em proteção extra para eles.

PROTETOR SOLAR

Crianças com menos de seis meses de vida não podem usar filtro solar, nem mesmo os que são indicados para o público infantil, pois suas peles ainda são finas e sensíveis. Por isso, as mamães devem deixá-las longe da exposição solar nos horários de pico, dando preferência para sair para o banho de sol logo no início da manhã e, ainda assim, apenas por alguns minutinhos.

A partir dessa idade, você pode passar a procurar por produtos do tipo “baby” ou “bloqueadores”, que formam uma barreira física de proteção. Entre os dois e os seis anos, prefira os “kids” ou “infantil”, que contam também com uma barreira química, feita com produtos que poderiam agredir a pele dos mais novos, mas que já se adaptam muito bem à pele dos mais velhos.

Você pode pedir ajuda do pediatra para escolher a marca que vai adquirir. Ele com certeza recomendará que o produto seja hipoalergênico, capaz de prevenir contra os raios UVA e UVB e fator mínimo de proteção solar (FPS) 30. Se seu pequeno for muito branquinho ou se você mora em uma cidade com muita incidência de luz solar, comece já no FPS 40!

Aplique o filtro solar diariamente no seu pequeno 30 minutos antes da exposição ao sol. É importante lembrar que a recomendação não vale apenas para os dias de praia ou piscina, mas também para as idas à escola, para passear com o cachorro e até mesmo no caminho para a casa da vovó. Tente reaplicar pelo menos mais uma ou duas vezes nos dias mais tranquilos e, se estiver na praia, toda vez que o pequeno sair da água ou a cada duas horas.

ÓCULOS ESCUROS

O uso de óculos solar ainda não é consenso entre os pediatras. Enquanto alguns acreditam que o sol é mais perigoso do que as lentes, outros dizem que os óculos escuros podem prejudicar a estabilização da visão das crianças, o que ocorre entre os três e os dez anos de idade. Vale a pena conversar com o seu médico e, se você concordar, seguir o que ele recomenda.

O pequeno está apto a ter óculos de sol quando já for capaz de andar e brincar sozinho. Para isso, você tem que escolher com muito cuidado o produto que vai adquirir, pois ele também precisa ter a proteção conta UVA e UVB. Óculos de procedência realmente confiável costumam ser mais caros e você só os encontra em lojas ou sites especializados.

Não compre os óculos do seu filho em versões pirata! Se não possuírem a proteção adequada, os óculos aumentam a chance de degeneração da retina e vão causar mais prejuízos do que os próprios raios solares para a visão do pequeno.

ACESSÓRIOS

Para complementar ainda mais a proteção ao sol, invista em acessórios para os pequenos. Nem sempre é fácil fazer com que eles permaneçam com esses itens, mas, para reverter a situação, você pode levá-los para fazer compras e escolher os acessórios que mais gostam, com o combinado de que eles terão que usar sempre que você pedir. O óculos de sol, por exemplo, pode ser o que a criança escolher. Assim, ela vai ter mais vontade de usar.

Chapéus são excelentes coberturas para a cabeça, a face, a nuca e o pescoço. Eles são essenciais para os horários de pico solar e precisam ser usados o tempo todo em ambientes onde a radiação é intensa. Bonés cumprem parcialmente o objetivo, pois deixam algumas áreas do corpo sem cobertura, o que pode prejudicar o seu pequeno.

Você também pode vestir as crianças com roupas especiais que possuem proteção solar. Elas são produzidas com tecidos tecnológicos que refletem os raios maléficos do sol e, embora sejam encontradas com facilidade nas roupas de banho, algumas marcas já estão produzindo opções para que as mamães possam deixar os filhos mais protegidos no dia a dia.