Queimaduras em crianças - como evitar e tratar


 

"Crianças bonitas e saudáveis brincando de esconde-esconde ao ar livre". Embora bastante atraente, esse pode ser o cenário de um trágico acidente. Basta fazer parte da peça uma simples fogueira ou até mesmo um isqueiro. Infelizmente, infinitos cenários podem ser montados e muitas são as possibilidades de acontecer acidentes com crianças, adultos ou idosos. A queimadura é um dos casos mais comuns em qualquer idade, além de ser, dependendo de sua classificação, um dos acidentes mais complicados.

A gravidade de uma queimadura depende de sua profundidade e da extensão da área afetada. Com exceção das pequenas queimaduras, todas as demais são potencialmente graves e devem ser examinadas por um médico.

O tratamento de queimaduras é, no entanto, simples se comparado à gravidade de alguns casos clínicos. O melhor remédio para queimadura é a água corrente. Segundo o Dr. Felipe M. Lora, médico formado pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, "a base desse tratamento deve ser a higiene, por ser grande o risco de infecção no local". Para o Dr. Felipe, quanto menor for a influência externa no ferimento, melhor.

Erros comuns como o uso indevido de manteiga, pó de café, folhas e pasta de dente sobre o local da queimadura são frequentes. "Lavar com água corrente e ir ao hospital é o melhor a fazer com as queimaduras", aconselha o Dr. Felipe. Para ele, o grande dano que as queimaduras trazem ao corpo é a desidratação, que deve ser tratada com reposição de soro fisiológico. Daí a importância da avaliação por um médico. A quantidade de soro a ser aplicada no paciente é determinada de acordo com o peso e a porcentagem da superfície corpórea que foi atingida.

A probabilidade de sofrer um acidente com queimaduras está relacionada com a idade do paciente. O idoso, por exemplo, apresenta, além de desidratação natural, doenças que prejudicam muito seu dia a dia, tornando suas chances de ser vítima de um acidente grave muito maiores. As crianças também são alvo potencial para que aconteçam lesões causadas pela ação do calor e desidratação por "terem, proporcionalmente, uma superfície corpórea maior do que a de adultos", explica o Dr. Felipe.

O descuido de algumas mães também é fator decisivo na segurança das crianças. Se o acesso da criança à cozinha, por exemplo, é facilitado pelos adultos, ela estará sujeita aos perigos que todos os tipos de queimadura oferecem. O mesmo acontece com a exposição exagerada ao sol, que pode gerar queimaduras dolorosas, principalmente nas pessoas que têm a pele mais clara.

Manter as crianças protegidas do efeito solar é o primeiro passo para evitar, além de queimaduras graves e cânceres de pele, os sinais da idade, que se acentuam com a exposição ao sol em horário indevido (sol do meio-dia) e sem a proteção necessária (é preciso aplicar protetor solar que bloqueie raios ultravioleta A e B a cada 2 horas ou após nadar).



 

Depois de solucionado o problema da desidratação e da higiene da área afetada pela queimadura, surge a questão que chega automaticamente às nossas mentes: "Como recuperar esteticamente a pele do paciente?" ou "a cirurgia plástica seria uma boa opção?". Dr. Felipe explica a questão estética: "não é aconselhável mexer no local ferido de imediato, além do que, a cirurgia plástica, nesse caso, não tem, como primeiro objetivo, o efeito estético. Ela é indicada quando a queimadura destrói os tecidos, impedindo-os de se regenerar. Daí o enxerto de pele, que tenta reativar as funções celulares, formando nova barreira que protege o paciente contra o meio externo".

Higiene e hidratação são, portanto, os melhores remédios para o tratamento de queimaduras. A prevenção desse tipo de acidente é essencial e consiste em, desde já, mostrar às crianças as consequências que queimaduras de médio ou grande porte causariam, ensinando-as o que é correto e como se defender em situações de risco.

Lembrando que o escaldamento (queimadura por líquido fervente) é o caso mais comum em crianças e bebês, daí a importância de atentar aos movimentos de seu filho, impedindo-o de causar o seu próprio acidente!