Tania Khalill - mãe, esposa e profissional

Na novela Caminho das Índias, novela das oito da Rede Globo que deixou saudades, a personagem Duda passou por situações difíceis, mas deu a volta por cima. Solitária após dar à luz ao pequeno Antonio Niraj, filho dela com o indiano Raj (Rodrigo Lombardi), ela sofre a valer até conhecer o pediatra Lucas (Murilo Rosa), com quem engata um romance. Duda engravida novamente, mas é atropelada e perde o bebê de Lucas.

Mesmo com tantos percalços, ela encontra a felicidade no último capítulo. Na vida real, a história de Tania Khalill (32), que deu vida à Duda na trama de Glória Perez, é completamente diferente. Para Tania, a maternidade representa a união familiar. Casada há oito anos com o cantor e compositor Jair Oliveira (34), Tania é mãe da pequena Isabela (2). O papel na novela fez Tania ter de se dividir entre as gravações, no Rio, e sua casa, em São Paulo.

Quando a mãe está fora, quem toma conta da pequena Isabela é o pai coruja que, recentemente, gravou um CD com canções compostas para a filha. Além das experiências normais de uma mãe de primeira viagem, Tania ainda precisa administrar sua carreira. A atriz paulistana, que é formada em psicologia e já foi bailarina clássica, ganhou definitivamente os holofotes quando deu vida à dançarina Nalva, em Senhora do Destino, trama global de 2004. Tania fala à Alô Bebê sobre a carreira, a relação com o marido e as mudanças que a chegada de Isabela trouxe à sua vida.

Alô Bebê: Você queria ser mãe? Quando surgiu esse interesse? 

Tania Khalill: Posso dizer que desde que me conheço por gente! Como boa canceriana, sempre tive UMA certeza na vida: o desejo de ser mãe. 

Alô Bebê: Como foi a descoberta de que teria uma menina? Como você se preparou para a chegada dela, a escolha do nome, a compra do enxoval?

Tania Khalill: Foi muito emocionante quando soubemos que seria uma menina. Ai, nunca esquecerei! Ficamos muito felizes. Ficaríamos de qualquer jeito, mas nas nossas brincadeiras de quando fôssemos pais, sempre aparecia a fantasia de ser primeiro uma menina. Já o nome dela é uma longa história. Meus pais ficaram na dúvida se eu me chamaria Tania ou Isabela, e quando era criança achava que eles tinham escolhido mal (risos). Tania para criança é muito sério, não conhecia nenhuma pessoa com meu nome.

Então achava Isabela um nome lindo e questionava meus pais sobre o porquê da escolha! Ou seja, sempre amei esse nome. Mas hoje em dia acho que o meu realmente tinha de ser Tania. Reconheço as forças, seriedade e peculiaridades do meu nome e adoro! Mas sempre achei Isabela "solar", alegre e leve, porém com personalidade. Já o enxoval, fui fazendo aos poucos. Comprar coisas de bebê é uma delícia, faz parte do imaginário materno e vamos construindo como será o bebê. Vamos preparando suas coisinhas, sua chegada.

Alô Bebê: Quais eram suas principais expectativas e ansiedades em relação ao nascimento da Isabela?

Tania Khalill: Minha primeira ansiedade, claro, era para que fosse saudável. Também queria que meu parto fosse normal. Cesariana nem em sonho. 

Alô Bebê: A maternidade tem sido exatamente como você esperava ou o nascimento dela mudou o seu conceito? 

Tania Khalill: Não dá para imaginar a dimensão do que é ser mãe. Por mais que tenhamos sonhado, pensado, imaginado, não conseguimos chegar a um grãozinho do que a maternidade representa, um amor absurdo. Não imaginamos o quanto somos "primitivos", "animais" quando diz respeito à proteção da nossa cria.

Alô Bebê: O que a gravidez mudou no seu relacionamento com o seu marido?

Tania Khalill: Muito! A cumplicidade, o companheirismo e a união, propriamente, aumentaram.

Alô Bebê: Na sua profissão, a beleza é muito importante. Que cuidados você tomou durante a gravidez? 

Tania Khalill: Tomei vários cuidados, principalmente me alimentei muito bem, saudavelmente! Quando estava grávida, ouvi uma frase sobre não consumir calorias inúteis e compreendi isso positivamente. Comecei a prestar atenção no que não seria nutritivo para mim e para o bebê e consumia esses alimentos com prudência, já que eles não nos trariam benefícios. Também caminhei quase todos os dias, o que foi ótimo, porque me deixou disposta e em forma. 

Alô Bebê: Você e o Jair Oliveira pretendem ter mais filhos? Vocês têm vontade de ter família grande? 

Tania Khalill: Queremos ter mais filhos sim, mas não agora, agora. Desejo ter mais dois.

Alô Bebê: Como você concilia a maternidade e a carreira? Como foi deixá-la em casa pela primeira vez para ir trabalhar? 

Tania Khalill: Deixar o filho em casa e ir trabalhar é uma dureza, sempre! Mas minha felicidade está atrelada a essa dualidade - família e trabalho. Sinto-me plena dessa forma. Então, me esforço ao máximo para tornar prazerosa a rotina pesada e, por vezes, exaustiva. Afinal, é o que amo!

Alô Bebê: Em Caminho das Índias, a Duda, sua personagem, teve um filho de um homem que se casou com outra mulher, que nem sabia da existência da criança. O que você faria na situação da Duda? 

Tania Khalill: Claro que não é uma situação fácil. Mas, como sempre, procuro buscar o lado positivo, e não há nada mais supremo, absoluto e poderoso do que ser mãe! Pela maternidade tudo vale a pena!

Não foi apenas a vida de Tania que mudou com o nascimento de Isabela. Jair Oliveira, que assume ser um "pai babão", também conta como a chegada da filha revolucionou sua maneira de enxergar o mundo e teve impacto, inclusive, em sua carreira artística. Para Isabela, Jair compôs todas as canções do CD Grandes Pequeninos, lançado em maio deste ano. 

 

Alô Bebê: Como surgiu a ideia de criar o CD Grandes Pequeninos?

Jair Oliveira: O CD foi todo inspirado em Isabela. As canções surgiram de forma natural, sem pretensão de se tornar um disco. Eu fazia músicas para a minha filha espontaneamente. Por exemplo, quando saíamos para um passeio, eu inventava uma música falando sobre isso, e tudo foi saindo à medida que fazíamos as coisas com ela. Quando vi que já tinha muitas canções, resolvi fazer um disco. Acho válido não apenas pelo registro do que tenho feito com ela, mas para compartilhar com outros pais. Mostrei a ideia para a autora Mariana Caltabiano, ela adorou e assim o projeto tornou-se também um livro.

Alô Bebê: Quais foram as principais mudanças que o nascimento da sua filha trouxe para a sua vida? No que a chegada dela influenciou seu trabalho?

Jair Oliveira: Ela mudou tudo, em relação a todos os aspectos: carreira, vida pessoal, vida conjugal. Antes, éramos marido e mulher, e passamos a ser pai e mãe, temos uma responsabilidade diferente. Ter um filho é uma transformação. A gravidez foi bem planejada, esperamos que ela terminasse a novela Cobras e Lagartos e mergulhamos de cabeça nesse projeto. No momento em que descobrimos que a Tania estava grávida, tudo começou a mudar. A chegada da Isabela me fez observar minha carreira de maneira diferente, tanto que criei este projeto inspirado nela. Sou um pai completamente babão e minha inspiração agora vem muito dela. A criança ilumina tudo ao seu redor. Tudo parece estar associado a ela, e isso é muito mágico.