Saúde bucal na gravidez

Um dos cuidados na gravidez é com a saúde bucal, a futura mamãe deverá ter mais atenção à higiene dos dentes e também estar atenta a um fato muito importante: os dentinhos do seu bebê já estão se formando.

A grávida pode ir ao dentista?

Sim. Ao contrário do que se pensa, durante a gravidez deve-se visitar o dentista com mais frequência. Como o risco de cáries e inflamação gengival estarão aumentados, o dentista ajudará na prevenção destes problemas, permitindo que a gestante receba seu bebê com a saúde bucal em ordem (o que se refletirá na criança).

O atendimento nessa fase envolve desde procedimentos como profilaxia, aplicação de flúor (de acordo com as necessidades da futura mamãe) e remoção de irritações locais que possam estar agredindo a gengiva, até o aconselhamento preventivo para a saúde bucal da mãe e do bebê. O odontopediatra poderá orientar, já na gestação, quanto aos primeiros cuidados a serem tomados com a boquinha do bebê, mesmo antes da chegada dos primeiros dentes de leite, essenciais para o desenvolvimento de uma boa dentição. Se for necessário outro tratamento, será feita uma avaliação juntamente com o ginecologista.

A grávida tem mais cáries?

O que ocorre é um aumento do risco de desenvolver cáries. As mudanças na dieta (introdução de mais carboidratos e/ou maior frequência alimentar), as mudanças na higiene oral (desatenção e/ou dificuldades na escovação devido a ânsias de vômito) e ainda a maior ocorrência de vômitos podem desequilibrar o meio bucal.

Esse desequilíbrio, se não for acompanhado de cuidados especiais, pode, sim, causar uma descalcificação da estrutura dental, que leva à cárie, e explica a "perda de cálcio" conhecida popularmente. Porém, é errado pensar que essa perda de cálcio tenha relação com a formação dos dentinhos do bebê. Há um aumento do risco de cárie, porém sua causa direta é a placa bacteriana e não a gravidez. Se houver um controle efetivo dessa película de bactérias que gruda nos dentes, não haverá cáries.

A gravidez tem gengivite (inflamação na gengiva)?

Novamente a causa é a placa bacteriana. Ocorre uma predisposição na gestante para desenvolver gengivite devido às alterações hormonais, que levam o seu organismo a responder de forma exagerada à presença desses micro-organismos. Nos dois casos vimos que o agente causador é o mesmo: a placa bacteriana. Portanto, é necessário um controle adequado.

Os cuidados são os mesmos de uma mulher não grávida: limpeza diária dos dentes com escova e fio/fita dental, sendo a qualidade desta limpeza mais importante do que a frequência.

Deve-se ingerir flúor?

Não é necessário ingerir flúor durante a gestação para ajudar na formação dos dentes do bebê. Ele será importante para a criança depois que nascerem os dentinhos, devendo ser usado com a orientação de um odontopediatra.

A saúde bucal do bebê

Lembre-se, os dentinhos de leite do seu bebê já estarão se formando a partir da sexta semana de gestação e os dentes permanentes entre o quarto e o sexto mês de vida intrauterina. Assim, algumas atitudes simples poderão ajudar na sua formação:

  • ter alimentação balanceada (carnes, frutas, legumes, verduras, cereais, leite e derivados). As avitaminoses podem comprometer o desenvolvimento normal dos dentes;

  • evitar álcool e drogas;

  • evitar maus hábitos alimentares, pois a partir do quarto mês de gestação o bebê já está formando seu paladar e perceberá a frequência com que sua mãe come certos alimentos. A criança pode aprender a gostar de açúcar antes mesmo do seu nascimento;

  • preparar seus seios para amamentar. A amamentação natural durante o primeiro ano de vida é fundamental não só pelo aspecto afetivo e nutricional, como pelo exercício muscular que favorece a respiração nasal e previne muitos dos problemas de oclusão (mordida).

    *Dra. Cintia P. U. Schames
    Odontopediatra