A prevenção do câncer de pele começa na infância

O câncer de pele apresenta lesões habitualmente de fácil diagnóstico e que, quando tratadas precocemente, revelam índices de cura em mais de 95% dos casos.

"A pele soma energia luminosa desde o dia do nascimento", alerta o dermatologista Aldo Toschi, do grupo de tumores cutâneos do IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer) e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo ele, a luz do dia e mesmo as radiações ultravioletas comuns em ambientes iluminados artificialmente, contribuem para a exposição da pele. Por isso, diz, cresce a importância de proteger fisicamente as crianças e, especialmente durante exposições ao sol, evitar superfícies claras.

As crianças de pele e olhos mais claros, assinala o especialista, merecem ainda mais cuidados e atenção. "Crianças muito claras que têm múltiplas queimaduras solares até os 10 anos de idade têm cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de pele na idade adulta", afirma Toschi. Ele lembra, entretanto, que durante o primeiro ano de vida deve-se evitar o uso de protetores solares. Isso porque nessa idade as glândulas sudoríparas ainda não estão maduras e a gordura do protetor solar pode entupir os poros da pele. Vale ainda a já conhecida recomendação de evitar a exposição ao sol entre as 10 e 15 horas. A dica serve para crianças e adultos.

Fatores de risco para câncer de pele:

  • pele de cor clara;

  • história familiar de câncer de pele;

  • história pessoal de câncer de pele;

  • exposição crônica ao sol;

  • Um fator de risco para o câncer de pele é a história de queimaduras solares severas na infância e adolescência;

  • certos tipos de sinais e grande número de sinais também representam risco de câncer de pele;

  • sardas também são indicadores de sensibilidade e de dano solar.

Sinais de alerta para o câncer de pele:

  • lesão de pele que aumenta de tamanho ou que tem aspecto de uma pérola translúcida (semitransparente), marrom, vermelha, rósea ou multicolorida;

  • Sinal que mostra mudanças na coloração e/ou na textura, que passa a apresentar bordas irregulares e aumenta de tamanho;

  • Mancha ou sinal que persiste com sensações de coceira, sangramento, ou que, quando cura, abre novamente por mais de três semanas;

  • áreas da pele que, ao ser tocada, dá a sensação de aspereza;

  • a pele ao redor do sinal torna-se vermelha, ou apresenta inchaço;

  • sinal que aparece após a idade de 21 anos.

Como se prevenir do câncer de pele:

  • Para prevenir o câncer de pele é necessário limitar o tempo de exposição ao sol, especialmente entre as 10 e 15 horas;

  • procurar sombra;

  • usar chapéu e roupas adequadas;

  • O uso regular de filtro solar com fatores de proteção iguais ou maiores que 15 é importante para prevenir o câncer de pele;

  • em exposições diretas ao sol, reaplicar o protetor solar a cada duas horas;

  • usar óculos de sol, com proteção 100% contra raios ultravioleta;

  • evitar bronzeamento artificial;

  • criar nas crianças práticas saudáveis de proteção solar.