Juan Alba - pai, ator de televisão, teatro e cinema

 

Mais exigente que bravo, segundo suas próprias palavras, o ator Juan Alba está preocupado com a realização das filhas e aposta no seu crescimento através da convivência na família, na escola, com os amigos e no contato com o mundo. Ressente-se do pouco tempo que a vida de artista às vezes impõe ao convívio familiar, mas procura driblar esse fato com mais qualidade no "preciosíssimo" tempo que passa junto das meninas.

Depois da repercussão da novela das oito Terra Nostra da Rede Globo, como o cocheiro Josué, Juan Alba participou da novela Roda da Vida, na TV Record, e acaba de terminar a temporada da peça Vida Privada, em São Paulo. Ele está se dedicando a novos projetos no teatro para o próximo ano.

Alô Bebê - Ter filhos foi uma opção planejada? Como aconteceu?

Juan Alba - Nem o casamento nem as filhas foram planejados. Aconteceu. Acho que dois filhos é um número legal. Tínhamos pensado em tentar um menino, mas, por enquanto, ainda vamos esperar. Se tiver que acontecer agora, será por acaso.

Alô Bebê- O que é mais gratificante e o que preocupa na paternidade?

Juan Alba - O fato de ter responsabilidade sobre os filhos é sempre uma caixinha de surpresas. Mas a satisfação de estar junto com elas em momentos simples, como ao chegar do trabalho, contar uma história, por exemplo, é muito grande. Transformar uma carinha de choro num sorriso...Procuro sempre incentivar o que elas curtem. A minha preocupação é que elas estejam preparadas para superar os obstáculos da vida.

Alô Bebê - O que mudou na sua vida com a chegada das crianças?

Juan Alba - Mudou tudo. O sentido da vida é outro. Antes, as consequências dos meus atos eram só minhas. Agora, não mais. Estou sempre preocupado em ligar para saber se está tudo bem, passar em casa entre um compromisso e outro para ver como estão, o que me deixa mais concentrado nas coisas que faço. Hoje sou uma pessoa mais responsável.

Alô Bebê - Como conciliar o trabalho e o convívio familiar?

Juan Alba - Quando faço uma novela, o tempo é mais curto, porque são muitas horas de gravação. Mas sempre procuro encontrar um espaço na agenda para ficar com elas e, quando isso acontece, me desligo do trabalho. Às vezes, saímos durante o dia, vamos a um sítio, ao shopping, ao cinema. O tempo com elas é preciosíssimo, as crianças me transportam para um outro universo e eu relaxo.

Alô Bebê - Você viaja muito? Elas reclamam das suas ausências? Como isso é negociado?

Juan Alba - Reclamam da minha ausência sempre, perguntam quando vou voltar. Mas, de certa forma, estão acostumadas com isso desde pequenas. Agora, morando em São Paulo, tenho mais trabalhos por aqui e fica mais fácil. Mesmo assim, em alguns trabalhos fora da cidade, vão comigo sempre que é possível.

Alô Bebê - Como é para as crianças ter um pai ator, conhecido do público? Isso muda alguma coisa na relação?

Juan Alba - No começo ficaram um pouco espantadas com o assédio que aconteceu depois da novela Terra Nostra. Foi repentino e não esperávamos a repercussão que teve. O fato é que elas convivem com outras pessoas do meio e eu, sempre que posso, tento desmistificar essa história de glamour, sucesso... fazer com que não se impressionem e valorizem mais um bom trabalho que estou fazendo.

 

Alô Bebê -Fale um pouco sobre as crianças, seu temperamento, preferências, diferenças.

Juan Alba - Elas são bem diferentes. A Victória, que tem nove anos, é mais agitada, comunicativa, quer fazer muitas coisas. Já a Valentina, que está com cinco anos, é mais tranquila, tem uma movimentação diferente e conquista as pessoas mais pelo charme. Mas também é mais brava, mais decidida.

Alô Bebê - Com que tipo de ajuda conta na educação das crianças? Como as coisas são negociadas com a mãe?

Juan Alba - Elas têm um contato muito maior com a mãe, Ludmila. E, devido ao fato de eu viajar muito e estar mais ausente, às vezes, quando estou em casa, quero impor alguns limites do meu jeito. Quando isso acontece, eu e a mãe delas divergimos, conversamos, mas acabamos chegando a um ponto de equilíbrio. A Ludmila tem um poder de convencimento maior, está sempre tentando conversar. Eu acho que com crianças às vezes não dá para ser muito democrático e acabo impondo mais, para que conheçam limites. Tento não fazer muitos planos e curtir o momento.

Alô Bebê - Que conceitos e valores orientam a educação que dá às suas filhas?

Juan Alba - Elas trazem mais as questões, perguntam muito sobre todas as coisas. Procuro ouvir primeiro. Me preocupo muito com o erotismo, que age direto sobre a imaginação. Procuro, então, mostrar o que acho e sei que não adianta apenas condenar posturas. No final das contas, a vida vai ensinar mais a elas. Procuro estreitar nossa relação e valorizo muito o papel da escola na sua educação, assim como a importância das amizades. Na verdade, não tem uma conduta objetiva. Acho que a gente não educa, aprende junto. Mostramos o certo e o errado na convivência.

Alô Bebê - Se considera um pai bravo? As situações de conflito são resolvidas com diálogo, castigo ou o quê?

Juan Alba - Sou mais exigente que bravo. Ás vezes, deixo que quebrem a cara para que percebam o que é certo. E acho que uma palmada vale de vez em quando; o importante é não ser agressivo e descontrolado. Mas não acho castigo bom. Privar de alguma coisa eventualmente, sim. Elas são muito espertas, inteligentes. Procuro tratar como adultas que serão.

Alô Bebê - Fale um pouco sobre o seu trabalho, como começou a carreira e seus projetos para o futuro.

Juan Alba - Comecei como modelo em 1986, morei e trabalhei nos Estados Unidos e na Europa. A Victória nasceu em Nova York e quando tinha três meses voltamos para o Brasil. Montei uma confecção em Vitória (ES), onde ficamos durante quatro anos, mas o bichinho da televisão começou a me roer. Então, comecei a fazer cursos. Participar da novela Terra Nostra no ano passado sem dúvida me projetou. Parti para o teatro, já fiz três peças e também participei do longa Histórias do Olhar. O teatro está me dando uma bagagem grande e é sempre uma oportunidade de melhorar, pela concentração que exige, a troca com o público, sua energia. Para um ator iniciante como eu é muito importante, um caminho de crescimento profissional. Continuo fazendo um trabalho paralelo ao de ator e estou tentando viabilizar novos projetos em teatro para o próximo ano.

Alô Bebê - Você está envolvido em algum projeto voltado para a infância ou educação, pensa nisso? Que importância dá a esse tipo de iniciativa?

Juan Alba - Participo de muitos eventos beneficentes, desfiles, jantares. Tenho buscado conhecer as instituições e seu trabalho para poder me aproximar mais. Acredito numa escolha nesse sentido e sei que vou me dedicar com afinco.

Alô Bebê - O que é mais importante na relação com os filhos? Que mensagem daria para nossos leitores?

Juan Alba - Sou muito feliz de ser pai, ter uma família. Se tenho uma mensagem a oferecer é que os pais valorizem a proximidade com os filhos, para saber deles mesmos como veem o mundo. É uma forma de direcionar melhor sua educação. E, é claro, dar toda a força para o que querem fazer.