Carlos Casagrande - um super pai

O sorriso de Carlos Casagrande fica ainda mais radiante quando o assunto são os filhos. Há nove anos, o ator trocou alianças com a apresentadora Marcelly Anselmé, e desde esta data, o casal já planejava viver uma das maiores emoções da suas vidas: o nascimento de um filho. ”Quando decidimos ter nosso primeiro filho, e a notícia finalmente chegou, a emoção foi de conquista e não só de surpresa”, conta Casagrande sobre a chegada de Theo, hoje com 6 anos, e de Luca com 3.

Formado em Contabilidade, ele iniciou a carreira de modelo em 1989, antes de estrear como ator da Rede Globo, em Malhação, quase dez anos mais tarde. De lá para cá, foi emendando um trabalho no outro, some isso a participações em eventos, peças de teatro e gravações de filmes. Versátil, Casagrande garante que dá tempo de ser um ótimo pai e participar de cada passo da educação dos filhos. Antes mesmo de Theo ensaiar os primeiros passos, Carlos aceitou o convite para viver um dos primeiros personagens homossexuais da TV brasileira, na novela “Paraíso Tropical”.

Nascido no interior de São Paulo, em Itararé, Carlos elogia a educação que recebeu dos pais, e procura ensinar Theo e Luca da mesma forma que aprendeu. Considerado um grande exemplo para os meninos, Casagrande atribui a Marcelly a autoria das surpresas preparadas pelo trio em todos os Dias dos Pais. “É uma delícia receber todo o carinho deles, mas não costumo me preocupar com datas, todos os dias são muito especiais ao lado da minha família”, diz o ator, que junto com a mulher forma o time perfeito para cuidar desta duplinha.

Alô Bebê: O que mudou em sua vida quando se tornou pai?

Carlos Casagrande: Mudou tudo. Houve uma verdadeira transformação, uma mudança de costumes, hábitos, sentimentos, uma visão totalmente diferente diante da vida depois do nascimento do meu primeiro filho, o Theo. É como se eu tivesse renascido.

Alô Bebê: E quando chegou o Luca, o medo foi menor?

Carlos Casagrande: Nunca tive medo e sim curiosidade. Tudo na minha vida graças a Deus tem acontecido na hora certa. Então, quando chegou a hora de ser pai eu simplesmente vivi o momento da melhor forma que pude.

Alô Bebê: O Theo curtiu a chegada do irmão?

Carlos Casagrande: Muito. Eles são cúmplices, amigos, companheiros, se respeitam, tive muita sorte de merecer filhos tão amorosos. A Marcelly, minha esposa, ajuda a educá-los de uma forma firme, porém tranquila, com muito carinho e diálogo, o que nos faz acreditar que estamos no caminho certo.

Alô Bebê: Para você, ser pai é um desafio diário?

Carlos Casagrande: Não encaro como um desafio. O prazer e a felicidade de ser pai sobrepõem qualquer dificuldade.

Alô Bebê: Com quais brincadeiras vocês mais se divertem?

Carlos Casagrande: Viro uma criança quando brinco com eles! São muitas brincadeiras, mas tento sempre que possível, inserir ensinamentos entre elas.

Alô Bebê: Você é aquele pai que quis saber e participar de tudo com os meninos, desde o banho até a papinha?

Carlos Casagrande: Participei muito quando o Theo nasceu, inclusive, fui eu que dei o seu primeiro banho em casa. Escolhemos não ter babá nessa época justamente pra podermos curtir ao máximo essa experiência. Com o Luca já foi diferente, eu estava trabalhando muito quando ele nasceu então não tive tempo de participar com a mesma intensidade.

Alô Bebê: Como você consegue conciliar os trabalhos com a educação dos filhos?

Carlos Casagrande: Não é tão difícil, mas é preciso ter uma organização de horários. Uso muito a internet via imagem pra me comunicar com eles, durante o tempo que estou viajando. A imagem nos aproxima e disfarça um pouco a distância. Trabalho muito principalmente quando estou gravando uma novela, nos momentos livres aproveito para estar bem perto deles.

Alô Bebê: Você já percebeu em um dos meninos uma característica sua, além da aparência?

Carlos Casagrande: Sim, no Theo que é o mais velho. Ele é distraído como eu, e não discute de forma alguma. Também é obediente como eu era com meus pais.

Alô Bebê: O Dia dos Pais hoje tem um sabor diferente para você? Ou o Theo e o Luca fazem todos os dias do ano um Dia dos Pais?

Carlos Casagrande: Dia dos Pais pra mim é um dia comercial como a maioria dos dias festivos. Dia dos Pais em casa é lembrado todos os dias desde cedo, quando os dois acordam e dizem: “Bom dia!” com um abraço apertado.

Alô Bebê: Mesmo os meninos tendo pouca idade, existe alguma lembrança que você vai guardar para sempre?

Carlos Casagrande: Existem inúmeros momentos, lembranças que vem e vão de acordo com o momento que se está vivendo e relembrando. Posso citar um dos primeiros momentos emocionantes que vivi enquanto pai, o dia do nascimento dos meninos. É realmente um milagre gerar outro ser.

Alô Bebê: Qual princípio você acha fundamental transmitir para os seus filhos?

Carlos Casagrande: Ser humilde, educado, honesto, respeitar o próximo...O básico que todo ser humano deveria ser.

Alô Bebê: Você concorda com a Lei da Palmada? Em sua opinião, há outras formas de educar a criança sem precisar bater?

Carlos Casagrande: Nunca bati nos meus filhos, e eles são extremamente educados, portando concluo que há educação sem agressão. Usei algumas vezes o castigo, que é simplesmente deixar de fazer ou ter aquilo que eles mais gostam.

Alô Bebê: Mesmo com os dois meninos, você e a sua esposa têm planos para aumentar a família? Tentar uma menina?

Carlos Casagrande: Acho que não, a princípio queríamos mais um menino. Estamos muito contentes com dois.