Mamãe em dose tripla

Isabella Fiorentino é uma verdadeira mãezona. Em 2011, a apresentadora do “Esquadrão da Moda”, programa semanal do SBT, recebeu a notícia de que estava grávida de trigêmeos univitelinos, frutos de seu casamento com o empresário Stefano Hawilla.

Durante a gestação, ela precisou ser bem cautelosa, já que o médico recomendou repouso. Sempre discreta, Isabella passou a maior parte do tempo em casa, na companhia de familiares e amigos íntimos. Bernardo, Lorenzo e Nicholas nasceram prematuramente – a apresentadora entraria no sétimo mês de gravidez quando deu à luz – e, desde então, Isabella enfrentou uma verdadeira prova de fogo, já que os bebês tiveram alta hospitalar quase três meses depois do nascimento. Os contratempos, segundo ela, só ajudaram a fortalecer os laços familiares.

Atualmente, os pequenos estão com 2 anos de idade e já não demandam os mesmos cuidados de quando bebês, por isso Isabella começou a voltar às suas atividades normais. Retomou as aulas de boxe e vai ao salão de beleza regularmente para se arrumar – antes preferia fazer tudo em sua própria casa. E quando o assunto é ter mais filhos, ela avisa que não pretende mais engravidar.

Alô Bebê: Você é mãe de trigêmeos e comanda um programa semanal. As duas atividades exigem dedicação. Como concilia todos os afazeres?

Isabella Fiorentino: Além da televisão e dos meninos, eu tenho outros projetos, como o meu site – outro filhote que exige atenção. Mas é possível trabalhar e ser uma boa mãe ao mesmo tempo. Faço isso, assim como várias brasileiras. Quando voltei ao trabalho, evidentemente deu um aperto no coração pela sensação de estar saindo de perto dos meus filhos, mas faço o programa com amor, conto sempre com o apoio de uma equipe maravilhosa. Não tinha como abrir mão de um trabalho que, acima de tudo, me dá prazer em fazer.

Alô Bebê: Você é ligada ao mundo da moda, já que começou sua carreira nas passarelas e comanda um programa sobre o assunto. Costuma vestir os meninos seguindo as tendências de moda?

I. F.: Ah, é uma grande brincadeira, uma delícia vesti-los! Brinco dizendo que eles são meus modelos. Adoro comprar roupinhas iguais para eles. É tudo em dose tripla. Também escolho peças iguais, mas com cores diferentes para cada um. Meus filhos são meus manequins (risos).

Alô Bebê: Como são seus filhos hoje? Percebe muitas diferenças?

I. F.: Eles têm carinhas de moleques. São bem molequinhos mesmo. Quando me veem, querem colo. Quer coisa melhor? Adoro esses momentos “grude”.

Alô Bebê: Eles são idênticos, como consegue diferenciá-los?

I. F.: Mãe é mãe. Cada um tem a sua personalidade, por isso, com apenas um olhar já consigo saber quem é quem.

Alô Bebê: O que a maternidade mudou em sua vida?

I. F.: As prioridades mudam, afinal, você passa a ter outras pessoas dependendo de você. Mas acho que, além disso, depois que me tornei mãe a sensibilidade aumentou. Por exemplo, sempre participo do Teleton (campanha realizada pelo SBT em prol da AACD – Associação de Assistência à Criança Deficiente) e me coloco no lugar daquelas mulheres guerreiras, que batalham para dar condições melhores aos filhos, que enfrentam uma realidade especial. A causa sempre me sensibilizou, mas, depois que me tornei mãe, fico muito tocada. Com a maternidade, também estou mais paciente.

Alô Bebê: Você não superexpõe seus bebês, nem é vista sempre badalando em eventos sociais. Passou a ficar mais em casa depois que os meninos nasceram?

I. F.: Não fico enclausurada. Eu saio, sim, mas eles são a minha prioridade. Gosto de passar meu tempo com os pequenos quando não estou trabalhando. Antes de eles receberem alta médica e poderem ir para casa, a minha vida realmente foi de casa para o hospital e do hospital para casa. Depois, fui incluindo outras atividades, retomei o trabalho... Mas adoro ficar com os meus meninos, meus guerreiros.

Alô Bebê: E a sua rotina? Teve muitas alterações?

I. F.: Tento ficar com os trigêmeos pelo menos todas as manhãs. Como as prioridades mudaram, procuro resolver as pendências ao longo do dia para ficar mais tranquila e me dedicar somente a eles no começo do outro dia.