Tudo sobre gestação: bebês choram na barriga da mãe?

bebê chorando

Se você já teve a impressão de sentir o seu filho choramingando mesmo antes de nascer, saiba que você não teve o juízo afetado pelos hormônios da gravidez, pois isso é possível, sim! Os bebês podem chorar desde quando ainda estão no útero materno, como uma forma de treino para dar o primeiro choro no mundo que os aguarda aqui fora.

A descoberta é recente e foi possibilitada pelo poderoso ultrassom 4D, que produz imagens detalhadas em tempo real. Mais uma chance de você saber tudo sobre gestação e acompanhar o desenvolvimento do seu pequeno.

O primeiro a descobrir esse fato foi o professor e obstetra britânico Stuart Campbell, que, a partir da 26ª semana de idade, conseguiu capturar imagens do bebê piscando os olhos e chorando. Anos mais tarde, um grupo de pesquisadores do Reino Unido analisou uma série de ultrassonografias, também em 4D, realizadas entre a 24ª e a 36ª semana de gestação.

Eles perceberam que, conforme a gravidez avançava, mais complexas se tornavam as expressões faciais do bebê, que já ensaiava o choro dentro da barriga da mamãe, apesar de ser incapaz de emitir sons devido ao ambiente em que vive.

Aprender a chorar, acreditam os pesquisadores, é uma forma de preparo para se comunicar com o mundo externo após o nascimento. A novidade permitiu aos especialistas adquirir ainda mais conhecimento sobre a evolução fetal, esse período de nove meses que a criança passa se formando e crescendo dentro da barriga da mãe.

Entre as descobertas, agora eles sabem que há uma ligação entre os padrões de comportamento do seu filho e o desenvolvimento do cérebro do pequeno.

Apesar de ser incrível, aprender a chorar não é a única capacidade que os pequenos desenvolvem enquanto ainda estão no útero da mamãe. Veja só o que o seu filho já pode fazer:

Tudo sobre a gestação, o seu bebê pode sorrir

Quando ainda não existiam equipamentos como o ultrassom 4D, ninguém imaginava que os bebês podiam sorrir ainda na barriga da mãe! O que se pensava até então é que eles aprendiam esse movimento depois do nascimento, observando e copiando as expressões faciais das mães e dos pais.

No entanto, da 6ª semana de vida em diante, os movimentos do bebê vão se tornando mais complexos, permitindo que eles sejam capazes de sorrir desde esse período. Ainda não se sabe se o riso está relacionado ao sentimento de alegria, mas provavelmente deve ser um reflexo do ambiente sereno e tranquilo em que estão habituados a viver.

Dentro do útero o bebê pode ouvir?

Em torno da 26ª semana de gravidez, o bebê já está com o sistema auditivo totalmente formado, preparado para atender aos estímulos do lado de cá. Nessa fase, as mamães e os papais devem intensificar as conversas com a barriga, pois, apesar de parecer um pouco constrangedor no início, os pequenos começam a ter contato com a linguagem, aprendem a reconhecer as vozes dos pais, se sentem seguros no útero materno, se adaptam com mais facilidade após o parto e estreitam os vínculos familiares. Outra atitude positiva em relação à audição do seu filho é colocar suas músicas favoritas para ele ouvir: isso ajuda a desenvolver o cérebro do bebê.

Mexer os dedos?

Com apenas 10 semanas de vida, a criança já pode mexer os dedinhos das mãos e dos pés. É nessa fase que elas começam a abrir as mãos, a esticar as pernas e os braços, a se espreguiçar, a chupar o dedo e a brincar com o cordão umbilical. Embora os movimentos aconteçam o tempo todo, apenas 8% deles são percebidos pelos pais, geralmente os mais intensos, como os chutes e as cabeçadas, que acontecem quando o pequeno já está mais crescidinho.

Embora a maioria seja imperceptível, quanto mais ação, melhor! A movimentação quer dizer que a criança está saudável e se desenvolvendo como o esperado; por isso, se perceber que a agitação está cessando ao invés de aumentar ou que não há ação há mais de 12 horas, corra para o médico.

Na gestação, seu bebê pode bocejar

Em outra recente pesquisa sobre o universo dos bebês, descobriu-se que os pequenos são capazes de bocejar. Isso só foi confirmado porque os pesquisadores notaram que alguns movimentos de abertura da boca duravam 50% a mais do que outros.

Ainda não se sabe a função do bocejo dentro da barriga da mãe, mas ele não está ligado ao sono ou ao hábito de fazer o mesmo após ver outra pessoa bocejando. A hipótese é que o ato de bocejar esteja relacionado ao estágio de formação do cérebro do bebê, já que o seu filho realiza menos movimentos desse tipo quando a gestação já está no último semestre.

Sonhar

Os pequenos passam a maior parte do dia (cerca de 16 horas diárias) dormindo no aconchego do ventre materno. Enquanto isso, eles sonham com as experiências que tiveram ao longo do dia, seja um novo som, uma iluminação diferente ou um susto. Os sonhos são mais comuns no final da gestação, quando a quantidade de sinapses do cérebro aumenta.

Com o advento do ultrassom 4D, foi possível até mesmo identificar o momento em que o seu filho entra na fase mais profunda do sono, chamada de REM, pois os seus olhinhos se movem e os batimentos cardíacos vão se intensificando. No entanto, a mamãe já deve ter percebido que nem sempre o pequeno dorme ao mesmo tempo em que ela: as noites podem ser muito agitadas para ele e, consequentemente, para você.

Você já sabia dessas informações sobre os bebês? Aproveite e confira nosso post sobre os mitos e verdades da gravidez!